Análise sobre a desistência da demolição do Júlio Delamare

demolicaoparqueaquaticojuliodelamare
A demolição do Júlio Delamare havia sido suspensa pela Defensoria Pública em julho

Nada como um governador acuado, mal podendo sair de casa para resolver atender o clamor popular. O governador do Rio de Janeiro, Sério Cabral, resolveu voltar atrás na demolição do Parque Aquático Júlio Delamare. Mas por que depois de meses e meses e meses ele chega a essa conclusão? Porque ele está mal nas pesquisas, está pressionado e a toda hora o movimento popular está sendo engrossado pedindo que não se mexa no Júlio Delamare e no Célio de Barros.

E não temos que parabenizá-lo por isso. Ele deve desculpas à população pelo mal estar causado durante esse tempo todo. Não sei se ele vai voltar atrás no Célio de Barros porque já está semidestruído, consta que vai haver uma reunião amanhã para tentar manter também o Célio de Barros. Pelo menos é uma notícia boa, mas não é uma notícia boa porque o governador é bonzinho, está do lado do povo, ouviu o clamor das massas logo na primeira voz que se levantou. Não! É porque apertou o cinto.

E revela como era mentirosa a explicação que a FIFA exigia a destruição do Júlio Delamare e do Célio de Barros.

Siga o portal dos Calangos nas redes sociais



Leave a Reply

Skip to toolbar