Mais uma impunidade no país do futebol

Hoje queria está falando sobre a última rodada do Brasileirão, da vergonha do futebol carioca, do drama do Botafogo… Não queria falar sobre esse assunto, danem-se… Mas é claro que por mais indignado que eu fique e por mais que isso esteja banalizado, não tem como ficar calado diante de tudo isso!

Eu não sei o que impede de pegar esses marginais e deixar na cadeia ou então já que a Justiça tem tantas artimanhas e não pode prender ou condenar que se proíba, tirem esses marginais dos estádios, como fazem em outros lugares. Uma hora antes do jogo o cara tem que se apresentar a uma delegacia ou prestar trabalhos comunitários e volte para casa uma hora depois do jogo, e que fiquem assim durante 3, 4, 5 anos ou a vida inteira, mas tem que tirar esses marginais dos estádios. E não é falta de comprovação que eles são possíveis assassinos, porque imagens hoje em dia é o que não falta, e fica por isso mesmo. Eu não tenho mais esperança! A questão das imagens estarem correndo o mundo não é a primeira vez! E todo mundo ficar chocado, NÃO É A PRIMEIRA! EU NÃO TENHO MAIS ESPERANÇA!

briga_joinville

Esse jogo estava sendo em Joinville porque a torcida do Atlético-PR já tinha se envolvido em uma briga no Atle-Tiba. Dois times de outro estado em Joinville, a exemplo de dois times de outro estado em Brasília no episódio Corinthians e Vasco, a exemplo de dois outros times também em Brasília, São Paulo e Flamengo. E agora descobrisse que um dos vascaínos presos estava na confusão de Brasília. São sempre os mesmos, não prendem porque não querem!

Eu quero me apegar é na hipocrisia! Na hipocrisia dos dirigentes envolvidos no domingo, porque eu não tenho a menor dúvida que há uma cumplicidade de cima a baixo, da Presidente da República Dilma Rousseff aos cartolas. Porque a gente não pode mais admitir que alguém venha propor delegacia especial a essa altura do campeonato. Chamou bastante a atenção ontem o Ministro do Esporte, Aldo Rebelo, e a Presidente Dilma, que são NOVATOS NO ASSUNTO. Porque as pessoas se renovam, o que não se renova é o assunto, pessoas morrendo em função do futebol e no fundo o problema da violência é um problema do país.

Porque há a sensação de impunidade no futebol brasileiro? Porque há a sensação de impunidade para o bandido brasileiro! O bandido brasileiro acha que não vai ser preso ou que se for preso vai sair da cadeia, e isso se espalha por toda a sociedade e vai bater no futebol. Durante anos se diz país afora: NÃO VÁ AO FUTEBOL! Nunca fui a favor disso! Eu pago imposto para fazer o que eu quero! Eu pago imposto para a polícia me dá segurança! E a polícia e o Estado são obrigados a me dá segurança na minha diversão!

Temos que tentar encontrar argumentos que faça as pessoas NOVATAS nessa história, como a Presidente Dilma, a entenderem o futebol. A Presidente é NOVATA quando vai falar de violência do futebol, como o Ministro Aldo Rebelo que não sabe do assunto, NÃO SABE! Na Inglaterra, por exemplo, só se resolveu a questão da violência nos estádios quando tratou como questão de Estado. Quando a Margareth Thatcher entendeu que se resolvesse a questão do futebol o Governo ia arrecadar mais um imposto, que o futebol ia virar uma indústria. E é o que está se desprezando no Brasil. Hoje o que acontece é que a cada 10 dias surge uma notícia que espanta o mundo: morre um operário em Itaquera, no estádio do Corinthians; corre risco de vida o torcedor em Joinville! E a Copa do Mundo vai ser aqui! Alguém tem que resolver e quem tem que resolver é o Estado! Porque se a indústria automobilística, por exemplo, contribui com o PIB, o futebol também tem que contribuir com o “país do futebol”. Se as pessoas não vão se sensibilizar pela morte, então que se sensibilize pela economia. Que façam acontecer alguma coisa no futebol brasileiro, que precisa. O potencial é muito grande! Para que a sociedade brasileira não continue a cada 2 semanas discutindo porque razão ninguém fez nada e mais uma pessoa foi parar no hospital ou morreu.

Siga o portal dos Calangos nas redes sociais



4 Responses to Mais uma impunidade no país do futebol