Congresso tenta acalmar manifestações com pequenos agrados

Camara-dos-Deputados-durante-discurssao-e-votacao-da-PEC-37
Aderson Ribeiro da Silva curti este post

Bom dia sabadão!

Essa foi uma semana de movimentação no Planalto, no Congresso e até no STF.

Como todos viram a PEC 37 foi para o ralo, e ela com certeza seria aprovada se não tivesse entrado na pauta das manifestações. Já sabemos que a OAB estava defendendo a aprovação da PEC no Congresso, e também já sabemos que a Dilma sancionou no dia 20 de junho a Lei 12.830 sobre a de investigação criminal conduzida por delegados de polícia.

O Senado aprovou o PLS 204 que torna corrupção em crime hediondo, a Câmara aprovou os royalties do pré-sal para a educação. Agora falta o 204 ser aprovado pela Câmara e os royalties do pré-sal pelo Senado. O projetos tem que ser aprovados pelas duas Casas, e se houver modificação volta para a primeira. E depois ainda terão que ser sancionados pela Presidente Dilma.

A presidente Dilma fez um encontro com governadores e prefeitos, na verdade ela fez um discurso para eles, e ninguém abriu a boca a não ser ela. Também aproveitou para aparecer na TV falando que eles estavam lá, anunciou um monte de loucuras para Reforma Política (que já mudou e agora ninguém sabe exatamente o que vai ser), recebeu o pessoal do MPL, da OAB, do MCCE. Ligou para FHC e deixou Lula puto da vida.

Tem um jornal dizendo que agora Lula quer tomar o comando da manifestações, ele vai viajar, depois vai conversar com as militâncias ligadas ao PT. Aqueles que fica chamando todo mundo de facista. Mas o povo não é burro não meu senhor.

Saiu pesquisa Datafolha de popularidade da Dilma, e foi a maior queda já registrada. O índice de aprovação “ótimo/bom” caiu de 57% no início do mês para 30%.  Seguem os gráficos da Folha. E as pessoas que estavam achando que a população com menor escolaridade e mais pobres não mudariam de opinião, mas a pesquisa mostra que o índice mudou em todas as camadas sociais.

Agora, as pessoas não podem perder o foco com esses agrados do Congresso.  Na semana que vem o Senado deve votar queda das tarifas (que eu jádisse que os estados tem prerrogativa para isso e não precisa de projeto), ficha limpa para servidores (porque não votar o PLC 939/13 que é o ficha limpa das empresas? Por que elas financiam as campanhas? ops) e os royalties do pré-sal para educação (por que esperar 20 anos para receber esse dinheiro e não resolve isso agora na LDO?). A Câmara vai decidir se vota o “Cura gay” (para rejeitar, claro!), mas a bancada evangélica diz que vai dar o troco e também está brava porque a Dilma não falou com eles. Será Feliciano candidato a presidente?? Deve votar também corrupção como crime hediondo né, não é possível que não.

Mas o povo deve continuar cobrando o arquivamento da PEC 33. Como disse Marquinhos: Cadê a reforma tributária???  Ninguém falou, mas a reforma política deveria abranger o fim das aposentadorias cumulativas de parlamentares que recebem seus salários no Congresso, mas tem aposentadorias como prefeitos e governadores (tudo junto, recebem as duas+ salário de parlamentar). Um absurdo!!!!! Isso porque o Governo diz todo satisfeito que já fez a reforma da previdência. Que vergonha!!! Sem falar que agora o STF está completo, vamos acabar logo com esse julgamento do Mensalão e confirmar as sentenças. Os dois mensaleiros que estão na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara estão doidos para aprovar a PEC 33.

 

Dudu disse que o STF anda legislando, mas ele só pode fazer isso nos casos em que o legislativo é omisso.  O legislativo não gosta de votar leis polêmicas e aí prefere deixar na mão do Supremo julgar. Por exemplo o Fundo de Participação dos Estados, eles só votaram porque o STF colocou prazo, e deixavam essa bagunça. Como é que o legislativo quer declarar inconstitucionalidade de decisões do STF, se não vota o que tem que votar? E pior, se eles mesmo aprovam nas Comissões de Constituição e Justiça das duas Casas projetos inconstitucionais e dizem que o STF decide lá na frente. Aí o STF vai decide e eles vão derrubar a decisão. Uma coisa tem que ficar clara: o legislativo adora votar o que é de interesse próprio.

Bom agora, vou parar por aqui e postar três imagens: uma sobre a pesquisa Datafolha (da Folha de São Paulo), e a outras dos gastos dos parlamentares (do UOL). Beijos e analisem!Camara-dos-Deputados-durante-discurssao-e-votacao-da-PEC-37UOL UOL Folha

 

 

 

Siga o portal dos Calangos nas redes sociais



2 Responses to Congresso tenta acalmar manifestações com pequenos agrados

  1. Profile photo of Eduardo Santos
    Eduardo Santos 2 de julho de 2013 at 16:38 #

    Renatinha,

    Muito bom o seu post e já me fez mudar de ideia em relação à PEC 33. O problema é realmente institucional, porque o congersso só vota o que o executivo manda, que por sua vez mantém metade dos Ministérios só para controlar a atividade legislativa.

    Seria uma falência do modelo democrático brasileiro?

  2. Profile photo of Renata Santana
    Renata Santana 3 de julho de 2013 at 1:53 #

    Boa pergunta. Espero que não, na verdade nós temos que amadurecer até o ponto de conseguirmos políticos que realmente se preocupam com o país e seu povo e não apenas com sua própria ganância. Só a educação pode nos levar a esse momento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para a barra de ferramentas