O que aprendemos com Edward Snowden

Reunião com Snowden

Para quem vive em outro planeta e não sabe o que está acontecendo, Edward Snowden é o agente da NSA que “jogou tudo no ventilador”, ao revelar o que muitos de nós já sabíamos: todas as comunicações através da Internet são monitoradas. Não apenas são monitoradas, mas alguém está de fato lendo tudo o que escrevemos por aqui. Se quiser entender onde tudo começou, sugiro que leia o post que publiquei sobre quem é o verdadeiro dono da Internet. Veja aqui também o relato do amigo Anahuac, e principalmente a entrevista do Professor Pedro Rezende.

Na Sexta-feira, o wikileaks (é claro que tinha que ser o Wikileaks) publicou aquela que parece ter sido a primeira declaração de Edward Snowden para um veículo realmente independente, longe das análises equivocadas dos analistas de sempre com seus conceitos e políticas de sempre. A entrevista completa pode ser lida aqui, já traduzida para o Português:

http://redecastorphoto.blogspot.com.br/2013/07/declaracao-de-snowden-em-sheremetyevo.html

Leia aqui a versão original em inglês.

Gostaria de chamar a atenção de todos a alguns trechos de sua entrevista:

Boa-tarde. Meu nome é Ed Snowden. Há pouco mais de um mês, eu tinha família, um lar no paraíso, e vivia com grande conforto. Tinha também meios para, sem qualquer ordem judicial, procurar, avaliar e ler as comunicações de vocês todos. Comunicações de qualquer pessoa, a qualquer momento. É o poder para mudar o destino das pessoas.

Eu acho que muita gente ainda não entendeu a gravidade essas denúncias, então vou tentar ser mais claro: sabe aquela vez que você trocou uma mensagem com alguém, que tinha uma foto mais, digamos, picante? Alguém viu essa foto. Sabe aquela conversa feita pela Webcam com aquela “senhora de respeito”? Tinha alguém assistindo. Sabe aquele segredo de governo que você enviou pelo GMail ou e-mail pessoal para não trafegar nos canais oficiais de comunicação? Alguém leu.

Durante muito tempo ninguém deu a mínima pra isso, como no caso do Governo de SP que fez um acordo IMORAL com a Microsoft com a desculpa de que seriam cedidas caixas de correio gratuitamente aos alunos. Sem entrar no mérito técnico de analisar todo o comportamento de uma sociedade que está crescendo através do e-mail, obrigar professores e alunos a dar de graça seus dados ao Governo Americano é simplesmente burrice. À época, a “mídia especializada” tratou a notícia como boa, e ninguém se indignou com o fato.

Pois bem, parece que os dias de imoralidade escondida estão finalmente acabando. Somente me chamar de maluco não vai mais resolver o problema, e chegou a hora de alguém tomar uma atitude real. É preciso entender que o problema está longe de acabar. Veja outro trecho da declaração.

Assim, fiz o que acreditei ser certo e comecei uma campanha para corrigir esses malfeitos. Não procurei riqueza para mim. Não procurei vender segredos dos EUA. Não colaborei com qualquer governo estrangeiro para garantir minha segurança. Em vez disso, levei o que eu sabia para a opinião pública, para que o que nos afeta todos nós possa ser discutido por todos nós à luz do dia e pedi justiça ao mundo.

Vejam que o governo americano está perseguindo-o com a acusação de espionagem, ou seja, de ter vazado o fato de estarem investigando a vida das pessoas sem autorização. Parece absurdo, mas é verdade.

Contudo, o mais importante é aprendermos com tudo o que está acontecendo. Muita gente acusa o Brasil de estar se vendendo para os americanos, mas gostaria de convidá-los todos a fazer uma reflexão com base nas notícias e palavras de Snowden. Vou tentar variar as fontes para ser o mais claro possível e eliminar um pouco a influência desse ou daquele estilo de escrita.

Notícia: EUA espionaram milhões de e-mails e ligações

Tradução: Agora eles não podem mais esconder

Notícia: América Latina exige explicações de Governo dos EUA

Tradução: Dá pra compartilhar com a gente também?

Notícia: Explicações do governo americano são consideradas insuficientes

Tradução: A proposta pra entrarmos no esquema precisa melhorar

Se o PRISMa americano foi atirado no ventilador, o Brasil está na fila. Também já falei sobre isso há muito tempo e vou repetir para que não digam que não avisei: todo o tráfego de Internet que sai pela operadora Oi é monitorado. Ok, você vai me chamar de maluco de novo. Ou será que vai me enxergar sob um novo PRISMa?

A nossa única salvação é o Marco Civil da Internet. Vamos pra rua exigir que ele seja votado?

Siga o portal dos Calangos nas redes sociais



One Response to O que aprendemos com Edward Snowden