Revoltas da Copa em rede

Anonymous

Comecemos logo pelo mais importante: se você veio até aqui para dizer que as revoltas da Copa no Brasil são contra PT, PMDB, PSDB, Alckmin, Dilma ou qualquer outro partido, sinto lhe informar que você está enganado. Se pretende me xingar por ser deste ou daquele partido, dê uma olhada aqui antes e veja em quem eu votei. Dentre tudo o que está acontecendo hoje o que mais me incomoda são as análises superficiais e frias, chamando os manifestantes de baderneiros ou dizendo que são apenas “massa de manobra”.

Para te ajudar a entender o que quero dizer, deixe-me lhe fazer uma pergunta: você está feliz? Sim, sei que a vida vai bem porque somos otimistas por natureza, mas você está contente com os rumos do seu país? Você está gostando de não ter conseguido comprar ingresso pra um jogo na Copa? Ou se conseguiu, ficou feliz com o que encontrou lá? Aliás, você está feliz pelo simples fato de estar acontecendo uma Copa do jeito que está acontecendo no Brasil? Se refletir sobre essa questão vai perceber que você (assim como eu) poderia estar em uma das grandes manifestações que estão ocorrendo no Brasil.

Você acha que se trata deu uma questão isolada? Então eu vou trazer aqui um post que fiz em 2011, quando eu dizia que tudo o que aconteceu no Egito JAMAIS aconteceria no Brasil. Ao que tudo indica, eu estava redondamente enganado, e estou muito feliz de que tenha sido assim.

Quem estuda história sabe que as grandes revoluções não foram planejadas por seus mentores. Não me refiro a golpes de Estado, esses sim frutos de uma orquestração mais complexa, mas sim a coisas realmente grandes como as Revoluções Francesa e Comunista. Sempre há um estopim, ou aquilo que foi a gota d’água para as pessoas se mexerem, mas o fato é que já havia um sentimento de insatisfação crescente em toda a população. Quando o fato aconteceu, tudo o que tinham por dentro veio à tona, e o povo saiu à rua para decaptar seus líderes. No caso da Revolução Francesa, até mesmo o líder da revolta foi decaptado um pouco depois.

O que acontece no Brasil hoje começou no Egito, expandiu-se no Oriente Médio causando a Primavera Árabe, passou pelos Estados Unidos com o movimento Occupy Wall Street, teve um momento importante na Espanha com o Movimento 15-M, que ainda está vivo, e certamente ainda terá desdobramentos em outros locais.

O que mudou em cada um desses países foi o desdobramento. Alguns dirão que nada mudou de fato, e talvez estejam certos, mas não podemos dizer que eles foram irrelevantes. Somente em muitos anos seremos capazes de olhar para o mundo e compreender tudo o que nos cerca no momento.

No Brasil, é óbvio que tudo acontece por causa da Copa. Acredito mesmo que tenha muita gente revoltada com a construção dos estádios, remoção das arbitrária das das famílias para as “obras da Copa”, falta de investimento em educação e estádios milionários, enfim, por tudo isso. Deve ser o tal “estopim” que faltava para que tudo pudesse acontecer.

O maior símbolo para mim é a SONORA VAIA que recebeu o Presidente da FIFA, senhor Sepp Blatter, na cerimônia de abertura da Copa das Confederações. Como a Dilma tava ao lado, alguns tentaram interpretar como uma crítica ao PT, e acabaram perdendo o ponto central de tudo o que está acontecendo. QUALQUER AUTORIDADE ALI SERIA VAIADA. Até a mãe de alguém que subisse ali ia levar vaia.

Ricardo Teixeira, o antigo Presidente da CBF, em entrevista à Revista Piauí disse que estava “cagando de montão” para as críticas à sua pessoa, porque só se preocuparia se o dia em que saísse alguma coisa sobre ele no Jornal Nacional. E talvez ele estivesse certo há alguns anos, mas agora ele está simplesmente errado. Todos os que estão acostumados com as ferramentas de comunicação do século passado não conseguiram enxergar a importância que o ciberativismo poderia ter para uma população com mais acesso à Internet. E não viram a revolução chegando.

Para finalizar, gostaria de deixar dois recados aos que chamam os manifestantes de baderneiros: não é possível construir sem desconstruir antes. Vejam as imagens abaixo e reflitam.

Muro de Berlim
Queda da Bastillha

P.S.: Para o texto não ficar enorme vou apenas largar esse link solto: http://www.observatoriodaimprensa.com.br/news/view/_ed749_eric_schmidt_e_o_exercicio_furado_de_futurologia

Divirta-se. 🙂

Siga o portal dos Calangos nas redes sociais



Leave a Reply

Skip to toolbar