MENSALÃO – Uma Balada de Genoíno e Dirceu

Foto de Dirceu e Genoíno
Poliane Borges, Eduardo Santos curtimos este post

Me sinto auto-obrigado a falar do assunto mensalão, principalmente por causa de uma frase que li por aí e não consegui achar a fonte de novo:

Os presos de ontem são os mesmos de hoje.

Algumas vezes acho que deveríamos estudar um pouco mais da história para entendermos a importância política de certos personagens, entre eles Genoíno e Dirceu. Não sou petista nem defendo o ato de passar por cima da lei para nenhuma pessoa, mas não fiquei feliz vendo José Genoíno ser preso. Não, não acho que ele foi injustiçado. Também não acho que ele é preso político, pois não foi preso por livre manifestação do pensar, o que em minha visão é a única coisa capaz de caracterizar uma prisão política. Simplesmente é triste ver alguém que aprendi a admirar quando era mais novo ser preso como um bandido qualquer.

Antes que você comece a me bombardear falando que eles são ladrões e etc, passe aqui e dê uma lida na biografia de Genoíno. Ele foi um dos membros da Guerrilha do Araguaia, foi preso no regime militar e mais tarde seria um dos responsáveis pela fundação do PT. Independente de gostar ou não desse partido, não dá pra negar a importância histórica do ato, e ele sempre foi um símbolo importante entre os militantes, a figura a ser seguida.

O mesmo pode ser dito sobre José Dirceu, que também tem uma biografia interessante. Dentre os fundadores do PT talvez seja aquele que mais tenha sofrido com as torturas no regime militar, e certamente teria morrido se não fosse trocado pelo embaixador dos EUA no sequestro organizado por Fernando Gabeira e sua turma. Diferente de Genoíno, que sempre foi mais um Sargento para inspirar as “tropas”, Dirceu era mais como um Capitão, o organizador e mentor das ações da esquerda. Até por isso foi escolhido naturalmente como um dos líderes do Governo Lula quando o PT chegou ao poder.

Já elogiei aqui também a (hoje) patética figura de José Sarney, que foi um dos principais responsáveis pela existência da democracia no Brasil. Sim, você pode não acreditar, mas ele foi um dos fundadores do PFL (hoje DEM), partido que conseguiu unir o lado moderado e eleger o primeiro presidente não militar. O que quero dizer com isso é que, entre os seres humanos, não existem sempre santos e demônios, mocinhos e bandidos; a vida é mais complicada do que isso. Dirceu e Genoíno tiveram sua importância histórica, ainda que hoje sejam vistos principalmente pelos jovens como o “mau a ser combatido”.

Precisamos agora nos atentar ao detalhe mais importante de todo esse processo: o mensalão sempre existiu e vai continuar existindo. No nosso podcast sobre política  a nossa amiga Renatinha explica como acontecem as votações. Os deputados precisam liberar suas emendas parlamentares (dinheiro), e o Governo só libera quando eles votam segundo sua vontade. Essa prática sempre existiu, desde a ditadura militar, passando pelo FHC e chegando até os dias de hoje. O próximo governo vai passar pelo mesmo dilema. Simplesmente é impossível mudar o sistema a curto prazo. Com a burocratização do governo petista e a aprovação da lei de responsabilidade fiscal no governo FHC, a coisa melhorou um pouco, pois antes era ainda mais descarado. Enfim, é um problema do sistema, não das pessoas.

Sobre aqueles que dizem que o julgamento foi injusto, pois se sustentou na tal “teoria do domínio do fato“, algumas considerações. De fato o julgamento parece não ter possuído provas concretas, mas me lembro de uma conversa que tive com um advogado amigo membro do Conselho Nacional de Justiça. Ele me relatava a prisão de um juiz que emitiu uma sentença condenando o Estado a pagar uma pequena fortuna a um empresário da região sem nenhuma lógica, mas que ao examinar a vida inteira do juiz não havia indícios de que ele havia se beneficiado da decisão. Mesmo assim, por não haver lógica em proferir tal sentença, o CNJ cassou e prendeu o juiz em questão. O objetivo da conversa era explicar que o Direito está mudando, e as relações humanas passam a ser mais importantes com o tempo. Assim, mesmo que não haja provas no caso do mensalão, se o STF condenou, é porque entendeu que havia indícios para fazê-lo. Ponto.

Justo? O que é justiça pra você? Talvez essa seja a grande questão: precisamos entender o que é justiça e sua importância para a democracia. Se a justiça é ver Genoíno e Dirceu presos, então que se cumpra, mas é meu direito democrático também não ficar feliz com isso. Deixo uma frase que gosto de repetir, supostamente atribuída a Che Guevara, para finalizar o texto:

Discordarei veementemente de suas ideias, mas lutarei até a morte pelo seu direito de manifestá-las.

Siga o portal dos Calangos nas redes sociais



9 Responses to MENSALÃO – Uma Balada de Genoíno e Dirceu

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para a barra de ferramentas