Você ainda saberá coisas que nem imaginava das pessoas

facebook-privacidade

facebook-privacidadeNa Internet existe vários mundos, e um dos mais frequentados é o mundo dos apreciadores do voyeurismo, exibicionismo, fetichismo e outras coisas taradas em geral.  O que não há nada de errado nisso. E esse mundo é repleto de fotos e vídeos de gente no mais variado estado de nudez, gente que se expõe por hobby.

A segurança dessa gente era a impossibilidade de associar nomes às fotos. Agora isso tudo mudou. Agora é possível fazer datamining de imagens, associando com bases de dados em Facebook, Instagram e afins. Antigamente eram poucas as fotos e informações online e quando alguém reconhecia a pessoa nas fotos ficava calado. É complicado dizer que estava fuçando pornografia quando deu de cara com uma amiga, por exemplo. Hoje nós mesmos subimos dados pessoais e nossos amigos nos marcam em suas próprias fotos.

Não cabe aqui fazer julgamento moral. Pode não parecer, mas vivemos em um país conservador. Semana passada mesmo a Myrian Rios virou notícia por expressar suas ideias medievais relacionadas a sexo. Foi prontamente questionada por muitos que postaram fotos da época em que ela posou nua. Hoje é possível saber muito mais sobre uma pessoa do que imaginávamos há 10 anos, um exemplo é colocar uma foto de alguém no sistema de buscas por imagem do Google.

Aos poucos a privacidade online deixará definitivamente de existir. Teremos que nos ajustar a uma realidade onde descobriremos coisas que nem imaginávamos das pessoas. A Internet vai mudar a forma com que a sociedade encara o caráter moral das pessoas e isso fará vítimas, pois o mesmo pai que pula a cerca achará um absurdo que sua filha tenha mandado uma foto de seus seios para o namorado.

Quer privacidade, não publique! Quer aumentar os níveis de privacidade, não viva! Pois como descrito acima, seus amigos podem postar fotos suas e te marcar. Mas isso algum dia será incorporado ao dia-a-dia das pessoas da mesma forma que o “não aceite carona de estranhos” foi incorporado depois da popularização dos automóveis.

Siga o portal dos Calangos nas redes sociais



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para a barra de ferramentas