Cinco estratégias para trabalhar com pessoas poderosas

602446_50810701

Seus coffee breaks são rigorosamente cronometrados em 15 minutos enquanto visão cópiaque seus colegas parecem ficar fora por 20 ou 25 minutos? A sua mesa é a que fica logo ao lado do banheiro que o Reginaldo de logística visita todos os dias às 10 da manhã em ponto? Será que o seu patrão fica com uma expressão de dor em seu rosto quando você fala sobre desenvolvimento de carreira? Ou talvez você vem encontrando dificuldades em ter suas ideias ouvidas, ou você não está sendo levado a sério?

Se você se vê nestes tipos de circunstâncias infelizes de trabalho, as chances são de que você precise trabalhar seu relacionamento com seu chefe.

Pessoas em posições de poder e autoridade podem fazer você se tornar um profissional fora de série ou destruir sua carreira. Seu chefe é o guardião de muitas das coisas que você quer. Ele(a) controla itens como projetos de trabalho significativos, promoções e aumentos de remuneração.

No entanto, os patrões também têm o poder de influenciar as pequenas coisas no local de trabalho que têm um grande impacto na sua satisfação cotidiana. Coisas como os seus coffee breaks, atribuições de estação de trabalho, o seu local de estacionamento, e todas as muitas outras coisas de que fazem do trabalho uma experiência agradável – ou miserável.

“Gestão” do seu chefe – uma habilidade fundamental

Saber como trabalhar com pessoas poderosas é uma habilidade de trabalho crítica e importantíssima. Assim como você administra seu tempo e seus outros recursos, você também precisa saber como “administrar” o seu chefe e outras pessoas poderosas em sua vida.stk311099rkn

Este aspecto é onde você como subordinado tem grande parte da responsabilidade. Você tem que construir ativamente o relacionamento – ou então ele tem o potencial para atropelar você. Os motivos do seu chefe podem ou não estar alinhados com o que você deseja de sua carreira. Quando você é abençoado com um chefe naturalmente favorável e motivador, então, construir essa relação não é tanto um esforço, pois é uma alegria. Por outro lado, quando se depara com um(a) chefe difícil (e, eventualmente, você vai, tenha certeza!) é preciso desenvolver algumas habilidades fundamentais para minimizar os efeitos negativos e transformar a relação ao redor.

A gestão eficaz de pessoas poderosas gira em torno de você e sua capacidade de ser um subordinado eficaz. Quando você transfere o peso da responsabilidade para si mesmo, você ganha a sensação de controle que você precisa para fazer o relacionamento funcionar. Isso começa com o reconhecimento de que, embora você esteja subordinado, você pode, e deve, ter atitudes.

Para iniciar um gerenciamento proativo dos relacionamentos que você tem com as pessoas poderosas, considere as seguintes técnicas e estratégias.

5 Estratégias para trabalhar com pessoas poderosas

  1. 1.    Aceitar que seu chefe é seu chefe

O primeiro passo para a gestão do relacionamento é aceitá-lo. Não aceitar o relacionamento é um problema que muitas pessoas ambiciosas têm, especialmente se o chefe for mais jovem ou vem de um grupo tradicionalmente desfavorecido.

Seu chefe tem o poder e a autoridade para dirigir o seu trabalho. Isto é o que você concordou quando você aceitou o seu trabalho, e é por isso que você recebe o seu salário.

Independentemente de quem é a pessoa no poder, você tem que lidar com ele(a) e fazer o melhor da situação, de modo que você precisa superar todos os problemas que você tem. Então deixe o seu ego e “atitude” lá na porta – mesmo que ache que deveria ser o chefe, você não é!

  1. 2.    Permita que o seu chefe cometa erros.

As pessoas com poder não são perfeitas, nem você é. Se você esperar muito do seu chefe, ele(a) poderá te decepcionar muito, lembre-se disto. Mantenha as coisas em perspectiva, na perspectiva correta e equilibrada!

  1. 3.    Compreender o estilo de gerir de seu chefe

Existem muitos estilos diferentes e naturais de gestão. Alguns são melhores que outros em determinadas situações e para certas pessoas. O problema é descobrir o que funciona melhor quando e para quem. Reconheça que o seu chefe está passando por esse exato problema.

Adapte as suas necessidades e reações ao estilo de seu chefe e entenda o seu próprio estilo preferido, e considere isto ao cultivar relacionamento com o seu chefe. Aqui estão algumas instruções que farão você pensar sobre a maneira preferida de seu chefe de trabalhar com os outros:

  • Como é que o seu chefe gostaria de receber informações? (Notas? Email? Falado diretamente? Alguma outra forma?)
  • Como o seu chefe estabelece as expectativas dele?
  • Quais são as expectativas específicas do seu chefe para com você em termos de produtividade, resultados, vestimenta, comportamento, etc.?
  • Que tipo de comunicador é o seu chefe?
  • Como é que ele(a) lida com más notícias ou imprevistos?
  • Como é que ele(a) reage ao próprio chefe?

Ao saber que tipo de estilo de gestão seu chefe usa, e entender o tipo de estilo que você prefere, você pode começar a descobrir algumas fontes de desacordo e disfunção e fazer algo sobre.

Outra dica é examinar o que seu chefe aprecia em seus subordinados (como os “escolhidos” agem?). E depois tentar desenvolver alguns desses atributos.

  1. 4.    Faça seu chefe parecer “O Cara”.

Todo mundo responde a elogios. Quando você executa algo de maneira a deixar seu chefe bem, ele(a) vai receber elogios de pessoas mais acima na organização. Veja alguns modos de conseguir isto:

  • Resolva problemas de forma eficaz;
  • Se você for solicitado a fazer algo importante que parece impossível, faça o seu melhor para pensar criativamente;
  • Se você não pode resolver um problema sozinho, verifique se você tem uma proposta de solução quando for ao seu chefe para obter ajuda;
  • Cumpra os prazos, ou se você vê que não vai dar, verifique para que seu chefe saiba com antecedência e explique a ele(a) por que você não foi capaz de concluí-los no tempo previsto;
  • Produza resultados verdadeiramente notáveis.

O outro lado da moeda é não fazer algo que deixe o seu chefe em “maus lençóis”, e não comportar-se de tal forma que ele(a) tenha que defendê-lo. Afinal, se você faz algo que seu chefe tem de te defender, outras pessoas na organização devem estar se perguntando por que ele(a) não está controlando o que está acontecendo dentro de sua equipe.

5.    Trabalhe de forma inteligente

Pessoas poderosas apreciam a eficácia e produtividade. Aprenda a trabalhar de forma a aperfeiçoar resultados. Veja algumas dicas:

tranquilidade cópia

  • Se você puder evitar, não diga “não posso” – pessoas poderosas são acostumadas a conseguir o que querem; então, se certifique de entregar seus projetos, mesmo se o que você entrega é um produto renegociado;
  • Respeitar o tempo delas – pessoas poderosas estão na demanda, portanto, você precisa apresentar suas idéias de forma rápida e sucinta;
  • Aprenda a ler nas entrelinhas – pessoas poderosas, muitas vezes não explicam as coisas plenamente – eles esperam que você “pegue no ar” o que elas estão dizendo. Encontre uma fonte de informação que vai trazer velocidade conforme necessário;
  • Entregar resultados – Missão dada é missão cumprida;
  • Trabalhe de forma independente quando for o caso.

Coach Thiago Ferreira

Aprenda a receber elogios

yellow umbrella

Obtenha o reconhecimento que merece

Imagine a seguinte situação: Você fica até mais tarde no trabalho, ganha constantemente contas que seus colegas de trabalho podem apenas sonhar em ter, nunca perde prazos, nunca chega atrasado e, ainda por cima, você termina até mesmo seus piores projetos com sucesso e antes do previsto.

Você pensaria que, ao fazer tudo isso, você teria de ouvir, pelo menos de vez em quando, um obrigado de reconhecimento da chefia? Bem, isto é o que você espera. Mas, infelizmente, o seu chefe está ocupado lidando com um membro “problema” da equipe e, como resultado, se esquece de mostrar qualquer gratidão para suas estrelas. Isso inclui você.

Você já esteve em uma situação como esta? Trabalhar duro e ser ignorado por seu chefe pode ser difícil. É por isso que às vezes você tem que tomar o assunto em suas próprias mãos. Alegrar-se de suas próprias realizações pode até parecer estranho. Mas, olhe desta forma: Se o seu chefe não percebe seu trabalho duro e você não está demonstrando a ele(a) como você se sente, o que vai acontecer quando você pedir um aumento? Como ele(a) saberá que você está pronto para aquela promoção, ou que você é ideal para esse grande e fascinante projeto?

As coisas não têm que ser assim. Por isso, vamos lhe mostrar como obter o reconhecimento que merece, sem parecer que você esteja em busca de atenção. Acredite ou não, há maneiras de fazer isso.

  • Primeiro passo: decidir o que quer

Existem muitos tipos de reconhecimento, de modo a decidir que tipo você deseja. As empresas muitas vezes agradecem seu pessoal com prêmios, certificados ou bônus. No entanto, muitas vezes as pessoas só querem elogios simples. E todos nós queremos saber que o nosso trabalho é significativo e que fizemos a diferença. Um certificado de “Funcionário do Mês”, ou um frio bônus no salário nem sempre comunica isso. Então, o que exatamente você está procurando? É importante definir isso, porque todo mundo quer algo diferente. Você quer um simples “obrigado”? Uma cerimônia de premiação em sua homenagem? Um aumento?

  • Segundo passo: Definir Porque você merece elogios

Não entre no escritório do seu chefe sem preparação prévia, para dizer o grande trabalho que você vem realizando. Sabe por quê? Parece estranho, mas se você estiver um pouco nervoso, poderá esquecer algo importante que fez. Você pode esquecer a ajuda que um colega lhe deu, abrindo uma brecha para que a pessoa possa falar mal de seu caráter.

Certifique-se de que você esteja bem, além de procurar dar crédito onde ele é devido. Faça uma lista das realizações que você gostaria de discutir. Ao lado de cada um, liste o valor que a realização trouxe para a empresa.

  • Terceiro Passo: Elogie-se

Este é o momento certo para ser criativo. Você conhece o seu chefe e seu ambiente de trabalho. Então, pense em maneiras de deixar o seu chefe saber o quão duro você está trabalhando. Se você for dizer a seu chefe de modo bem direto, então faça-o com cuidado e tato, de preferência, em uma área privada.

Sabe a lista de realizações que você acabou de criar? Leia mais algumas vezes antes da reunião. Enquanto fala, enfatize o quanto você teve ajuda e como seus colegas de trabalho devem ser recompensados pelo trabalho duro também.

yellow umbrella

            Se isto fizer você se sentir um pouco acima dos demais, por parecer que você está se gabando, pense em maneiras de deixar seu chefe saber o que você tem feito, sem ser tão óbvio ou explícito. Por exemplo, envie ao seu chefe um email cada vez que você ganha uma nova conta, um projeto, uma tarefa, ou quando você finalmente foi capaz de agradar o pior cliente de sua empresa. Estes poucos “relatórios de progresso” mantém suas ações à vista de uma maneira delicada e não muito óbvia.

            Você também pode elogiar os outros na frente do seu chefe. Ao trazer o bom trabalho deles para a atenção do seu chefe, ele pode perceber o grande trabalho que você vem fazendo. Mantenha os elogios genuínos e honestos, pois se você parecer insincero, as pessoas podem notar, e você pode não ser bem visto. Se você tem algo bom para dizer, diga, mas não fale se você não quer realmente dizer.

DICAS:

  • Olhe atentamente para as ações de seu chefe. Ele pode estar elogiando você, mesmo sem que você perceba. Por exemplo, digamos que você passou horas escrevendo a mensagem anual aos acionistas, e seu chefe só olhou para ela rapidamente antes de copiá-la. Antes de ficar chateado, considere que suas ações podem realmente dizer que seu chefe confia em você para fazer um trabalho de imediato, e que não leu todas as linhas por saber que você fez um ótimo trabalho. É verdade que receber um “obrigado” por um trabalho bem feito é algo bom, mas demonstrar esse tipo de confiança também é um elogio.
  • Em seu ambiente de trabalho, talvez todos os problemas de comportamento são notados, e os que são realmente bons e grandes parecem ser ignorados. Se assim for, então talvez você tenha de fazer algo ousado para chamar a atenção da administração. Procure dizer ao seu chefe honestamente como os membros da equipe precisam de algum reconhecimento. Mantenha o foco longe de si mesmo e ajude seu chefe a entender como todos estariam mais motivados se recebessem um elogio de vez em quando.

Aplique em sua vida!

Pronto para colocar isso em prática? Veja a seguir algumas maneiras fáceis de usar esta ferramenta na sua vida desde já:

  • Utilize-se destas estratégias para ganhar o elogio que merece;
  • Comece por reconhecer as conquistas dos outros. Se você observar os colegas de trabalho fazendo algo trabalhoso, envie-lhes emails elogiando seus esforços, e envie cópia para seu chefe. Isso pode mostrar a ele que você está demonstrando características de líder;
  • Lembre-se que o seu patrão também pode precisar de alguns elogios e reconhecimento. Então,  envie-lhe um email quando ele fez a diferença em seu dia, e considere mandar cópia do email para o chefe dele também;
  • Se você é um líder de equipe, mantenha os olhos abertos para as atividades e aos colegas de trabalho que merecem elogios. Sempre que alguém faz algo, e ganhou um sincero “obrigado”, envie um email para a pessoa com cópia para o seu chefe.

Estas são apenas algumas maneiras que você pode “subir o moral” em seu local de trabalho para que as pessoas também se peguem pensando em elogios e reconhecimento.

Quando você reconhecer os esforços de sua equipe, consequentemente você ganhará seus próprios elogios também.

Coach Thiago Ferreira

Trazendo bem-estar e felicidade a sua vida

café cópia

O modelo PERMA 

Nós todos queremos ser felizes. Quem não quer ser feliz? Quando estamos café cópiafelizes, somos produtivos, somos bons em construir relacionamentos significativos com os que nos rodeiam, e… Nos sentimos maravilhosamente bem!

No entanto, a felicidade é uma coisa notoriamente difícil de “apontar”, e concentrando-se muito intensamente sobre ela, podemos acabar nos sentindo insatisfeito.

Neste artigo vamos olhar para o modelo PERMA. Isso nos ajuda a pensar sobre o que nós precisamos fazer florescer – e ficar realmente feliz com o resultado! Alcance a felicidade e bem-estar com o modelo PERMA.

Sobre o modelo

O modelo PERMA foi desenvolvido pelo respeitado psicólogo positivo Martin Seligman, e foi amplamente divulgado, em seu influente livro de 2011, “Florescer”

“PERMA” representa os cinco elementos essenciais que devem estar no local para que experimentemos bem-estar duradouro. Estes são os seguintes:

1. Emoção positiva (P)

Para sentirmos a experiência do bem-estar, precisamos de emoção positiva em nossas vidas. Qualquer emoção positiva como a paz, a gratidão, satisfação, prazer, inspiração, esperança, curiosidade, ou amor se enquadram nesta categoria – e a mensagem é que realmente é importante se divertir no aqui e agora, porém somente enquanto os outros elementos PERMA estiverem no lugar.

2. Engajamento (E)

Quando estamos verdadeiramente empenhados em uma situação, projeto, tarefa ou experimentamos um estado de fluxo, o tempo parece parar, perdemos nosso senso de individualidade e nos concentramos intensamente no presente. E isso é muito bom! Quanto mais experimentamos este tipo de envolvimento, mais provável é de experimentar o bem-estar.

3. Relacionamentos positivos (R)

Como seres humanos, somos “seres sociais”, e bons relacionamentos são fundamentais para o nosso bem-estar. De tempos em tempos, vemos que as pessoas que têm relações significativas e positivas com outras são mais felizes do que aquelas que não têm. Relacionamento realmente importa!

4. Significado (M)

Significado vem de servir uma causa maior do que nós mesmos. Seja isto uma divindade específica ou religião, ou uma causa que ajuda a humanidade de alguma forma, todos nós precisamos de significado em nossas vidas para ter uma sensação de bem-estar com nós mesmos e com outros.

5. Realização (A)

Muitos de nós nos esforçamos para melhorar a nós mesmos de alguma forma, se estamos procurando dominar uma habilidade, alcançar um objetivo valioso ou ganhar em algum evento competitivo. Como tal, a realização é outra coisa importante que contribui para a nossa capacidade de florescer.

Utilizando o Modelo PERMA

Uma vez que você está ciente das coisas que compõem o bem-estar (em vez de se concentrar somente na felicidade), é muito mais fácil viver uma vida rica e significativa. Vamos dar uma olhada em como você pode fazer isso.

Emoções positivas

Embora não se pode ser feliz o tempo todo, precisamos ter certeza de que muitas vezes, iremos experimentar emoções positivas, como prazer, felicidade, contentamento, paz, alegria e inspiração. Se você sente que não está experimentando emoções positivas suficientes em sua vida, pare e pense sobre o porquê.

Primeiro, olhe para a sua carreira. Você usa seus talentos e pontos fortes em sua função atual? Além disso, tire um momento para identificar pessoas, eventos ou coisas que lhe dão prazer. Por exemplo, imagine que você ama estar ao ar livre, rodeado por natureza, porém, trabalhar em um escritório significa que você raramente experimenta esta fonte de felicidade. Por que não trazer plantas em seu escritório ou mesa?

O objetivo aqui é encontrar maneiras de trazer emoções positivas e prazer em sua rotina diária e garantir que você não continue protelando essas coisas para um futuro… Que nunca chega.

Engajamento

 

Você se sente envolvido com sua carreira? Ou você persegue passatempos e atividades que ajudam a se encontrar no estado de fluxo de que falamos anteriormente?

Engajamento é mais estreitamente identificado como ato de criação, mas você também pode experimentar um profundo engajamento ao participar de esportes, passar tempo com amigos, ou trabalhar em projetos que você tem fascínio.

Você pode aumentar seu engajamento no trabalho, primeiro minimizando distrações e melhorando a concentração. Estes ajudarão você a entrar em um estado de fluxo. Então, na medida do possível, se concentre em projetos que oferecem desafios interessantes para suas habilidades.

Em seguida, olhe para os seus interesses. Você reserva tempo suficiente para interesses pessoais, como um passatempo favorito ou atividade física? Muitos de nós deixa escapar este momento pessoal importante, especialmente quando estamos estressados ou sobrecarregados com o trabalho. Tente dedicar mais tempo em atividades que fazem você se sentir feliz e engajado.

Relacionamentos positivos

Você tem relações positivas em sua vida? Estas podem ser com qualquer um: família, amigos, vizinhos ou colegas. Você gostaria de ter mais desses relacionamentos?

Você certamente passará a maior parte de sua vida no trabalho, por isso é importante começar aqui se quiser construir grandes relacionamentos.

Em seguida, olhe para a sua vida pessoal. Você gosta da companhia de sua família e amigos, e você acha que elas são positivas e de apoio?

Se não, então é importante ter tempo para entender o porquê. Você está dedicando tempo suficiente para fortalecer esses relacionamentos? Será que você precisa fazer mais esforço para chegar aos seus amigos e familiares?

Faça um compromisso de gastar um tempo significativo com um amigo ou membro da família em uma base regular. Os relacionamentos necessitam de compromisso e trabalho duro, e eles são muitas vezes aprofundados somente quando nós fazemos um esforço para se conectar com as pessoas. Por outro lado, haverá muito o que fazer caso você de fato se interesse em mudar as pessoas à sua volta: se os seus relacionamentos não são positivos, o quão longe você iria para preservá-los?

Significado

Você sente que sua vida e trabalho tem sentido? Isto é, você sente que você está conectado de alguma forma em uma causa maior do que você?

A maioria de nós quer acreditar que estamos trabalhando e vivendo para um propósito maior. Assim, encontrar significado é importante para a nossa sensação de bem-estar. É tão importante quanto também olhar para o que significa na sua vida pessoal certas atividades, como passar tempo com a família, o voluntariado ou realizar atos de bondade, pois estas são atividades que realmente melhoram o nosso senso de significado na vida. Se você sente que falta significado na sua vida, fazer essas coisas será imensamente gratificante.

Realizações

Realização e conquista podem ser os elementos mais difíceis do PERMA, simplesmente porque é muito fácil esticá-los demais. Por exemplo, em muitas sociedades, a realização é altamente valorizada, e se nós não estamos ocupados, pode parecer que não estamos à altura das expectativas de viver uma vida plena. No entanto, se estamos continuamente a empurrar a nós mesmos, podemos facilmente “correr em círculos até a exaustão” em busca da realização seguinte.

Se você julgar a si mesmo, e perceber que não está tendo tempo ou energia suficiente para realizar seus sonhos, então comece agora.

Se você sentir que está dedicando muito tempo para suas realizações (e, assim, deixando de fazer outras coisas importantes, deixando sua vida desequilibrada), então talvez seja hora de dar um passo para trás e se concentrar em outros elementos do modelo PERMA.

Até lá, viva plenamente, ame abertamente e faça a diferença… hoje!

Coach Thiago Ferreira

Pare – Continue – Comece

Sem Título-2

Perguntas simples para melhorar o desempenho

MTBI® é uma marca registrada da MBTI Trust Inc. (ver http://www.myersbriggs.org).
Nós não temos nenhuma associação ou conexão com esta organização.

­

———————————————————————————————–

Sem Título-2O feedback é essencial para o nosso crescimento profissional: Ele nos ajuda a identificar e desenvolver as habilidades que precisamos para o sucesso.

Mas pedir feedback pode ser assustador, especialmente quando temos medo de que ele pode não ser totalmente positivo.

Neste artigo, vamos olhar para “Pare – Continue – Comece”, uma ferramenta que nos ajuda a pedir um feedback focado, baseado em ações.

Visão global  

“Pare – Continue – Comece” fornece ação focada de feedback.

O processo SKS (Stop – Keep Doing – Start) – “Pare – Continue – Comece” – é o nome formal para um pequeno conjunto de perguntas que você pode usar quando você pedir feedback. As perguntas são simples:

  • O que eu deveria parar de fazer?
  • O que eu deveria continuar a fazer?
  • O que eu deveria começar a fazer?

Phil Daniels, professor de psicologia na Universidade Brigham Young, é creditado pela elaboração do processo. Este é eficaz por várias razões:

  • Primeiro, por ser reconfortante: As perguntas forçam os outros a pensar em coisas específicas que você faz bem, bem como incentiva eles a dizerem o que você poderia fazer melhor.
  • Segundo, o processo é uma ação focada: Os comentários feitos lhe dão uma visão prática sobre o impacto de seu comportamento sobre os outros, e explica exatamente o que você precisa fazer para melhorar.
  • Finalmente, as questões são rápidas. Em muitos casos, elas permitem que as pessoas deem boa qualidade de feedback em apenas alguns minutos.

Dica 1: “Pare – Continue – Comece” foi inicialmente concebido como uma forma de pedir ajuda e feedback. No entanto, você também pode usá-lo quando for dar feedback .

Dica 2: O processo funciona melhor quando as perguntas são feitas oralmente: Não é destinado a substituir os processos de feedback mais formais, tais como avaliações de desempenho.

Como usar o processo

O que devo parar de fazer?

Atente ao comportamento que você foi convidado a parar de fazer.

  • Você entende o feedback e por que é importante para a pessoa que o deu? Se não, pare e peça esclarecimentos.
  • Este comportamento está intimamente ligado à sua personalidade (por exemplo, se você é um introvertido, são pessoas incentivando você a ser mais extrovertido?)? Se assim for, você pode precisar trabalhar muito mais para mudar, pois novos comportamentos podem ser desconfortáveis a princípio.

Considere tomar um teste de personalidade, tais como o Myers-Briggs Indicator® (MTBI), para entender melhor a sua personalidade, e considerar como ela afeta o modo como você trabalha com os outros. Você também pode querer oportunidades de feedback de longo prazo, para garantir que você continue a fazer progressos.

  • Que oportunidades sua mudança de comportamento irá criar, e como isso vai mudar para melhor sua vida pessoal e profissional? Muitas vezes, é muito motivador parar e pensar sobre o impacto positivo que a mudança poderia trazer.

Pode ser perturbador saber que você está fazendo algo que seu chefe ou seus colegas querem que você pare. No entanto, lembre-se que eles estarão a olhar para isso de uma perspectiva de trabalho, e não fazendo uma crítica pessoal. Isso é o que esperamos! Tente gerir os seus próprios sentimentos, e se concentrar no valor do que eles estão dizendo.

O que devo continuar fazendo?

Estas são as ações e comportamentos que os seus colegas apreciam. Para entender como você poderia incorporar essas tarefas mais plenamente ao seu papel, pense nas seguintes perguntas:

  • Alguma destas sugestões o surpreendeu? Se sim, por quê?
  • Algum destes comportamentos ressoou com você emocionalmente? Por exemplo, você experimenta um estado de fluxo quando você está envolvido neles? Anote o que agrada a você sobre essas atividades.
  • Que habilidades específicas você está desenvolvendo como resultado dessas ações? Você está usando pontos fortes que você não sabia que tinha? Se sim, como você poderia aplicar esses pontos fortes em outros projetos?

O que devo começar a fazer?

O feedback que você recebe com esta última pergunta serve para pontos de lacunas no seu desempenho atual. Estas sugestões podem ajudá-lo a olhar para as questões que você pode não ter abordado até agora.

  • Olhe atentamente para as coisas que seus colegas acham que você deve começar a fazer. Quais as vantagens que elas oferecem para você e para os outros?
  • Alguma dessas tarefas, projetos ou comportamentos faz com que você se sinta ansioso ou com medo? Se assim for, você tem evitado essas coisas por causa de algum medo do fracasso ou algum outro ponto cego?

Pense cuidadosamente sobre o porquê de você não se dirigir a essas coisas no passado, e o que você pode fazer para vencer sua relutância para iniciá-las. (Se você somente tem deixado as coisas de lado, aprenda a superar a procrastinação e realizar mais.)

  • Alguma dessas novas atividades requer habilidades ou informações que você não tem? Se assim for, crie um planejamento para ir ganhando as habilidades que você precisa para ter sucesso.
  • Se, depois de muita reflexão, você ainda não consegue entender porque começar algo novo é importante, peça esclarecimentos da pessoa que lhe deu o feedback. Você também pode se beneficiar de algum Coaching sobre o assunto.

Dica: Se a sua carga de trabalho já é grande, adicionar novas tarefas ou projetos pode ser esmagador. Certifique-se do que você prioriza efetivamente, para que possa trabalhar as sugestões mais valiosas em sua programação.

Perfeccionismo – Superar Pensamentos de tudo ou nada

Sem Título-1

Você já foi rotulado como um “perfeccionista” ou se considera um? Enquanto todos nós precisamos fazer um trabalho de qualidade, o perfeccionismo em excesso pode fazer mais mal do que bem.

Título logo-1

Por exemplo, pode ser prejudicial para a sua autoestima e para a das pessoas que trabalham com você. Ele pode colocar uma pressão sobre seus relacionamentos, e em alguns casos, pode levar a problemas de saúde.

Neste artigo, vamos olhar por que perfeccionismo excessivo não é saudável, e vamos pensar sobre o que você pode fazer para superá-lo.

O que é perfeccionismo?

Perfeccionismo é um conjunto de padrões de pensamentos autodestrutivos que empurra uma pessoa a tentar atingir metas irreais.

Em seu livro, “À procura do perfeito”, o Dr. Tal Ben-Shahar explica que existem dois tipos de perfeccionismo: perfeccionismo adaptativo e mal adaptado. Perfeccionistas adaptativos trabalham no desenvolvimento de suas habilidades. Os padrões estão sempre subindo, e eles abordam o trabalho com prazer, otimismo, e desejo de melhorar. Este é claramente um tipo saudável de perfeccionismo. Perfeccionistas mal adaptados, no entanto, nunca estão satisfeitos com o que conseguem. Se algo não está perfeito, eles repudiam. Eles podem experimentar medo do fracasso, a dúvida, a infelicidade e outras emoções dolorosas.

É importante entender a diferença entre o perfeccionismo desajustado e uma busca saudável pelo sucesso. Perfeccionistas desajustados vêem erros como inaceitáveis, pois os fazem pensar que isso leva a outros a vê-los como incompetentes. Por outro lado, as pessoas que se esforçam para a excelência de uma forma saudável enxergam os erros como uma oportunidade para crescer, pois eles entendem que os erros são parte do processo de aprendizagem, e, por tanto, convivem com seus erros e os aceitam.

Neste artigo, vamos nos concentrar em como lidar com o perfeccionismo desajustado. Mas as coisas não deveriam ser perfeitas?

Obviamente, você precisa trabalhar duro e entregar os melhores resultados possíveis. Este é particularmente o caso quando vidas estão em jogo, ou quando as consequências do fracasso são significativas; aqui, uma abordagem casual para a qualidade pode ser catastrófica. No entanto, mesmo com situações como essa você precisa fazer o seu melhor, testar e verificar completamente o seu trabalho, para só depois entregar.

Quando as consequências da imperfeição são pequenas, então pode ser um desperdício buscar a perfeição. Aqui, “bom o suficiente” realmente é bom o suficiente.  Será um desperdício você continuar aprimorando o seu trabalho depois de ter concluído um profundo, disciplinado e inteligente plano de teste bem-sucedido.

Consequências do perfeccionismo

O perfeccionismo descontrolado pode causar sérios problemas. Vejamos algumas de suas conseqüências abaixo:

Sem Título-1

Saúde em geral

De acordo com uma análise publicada no “Journal of Counseling and Development” (Jornal de Aconselhamento e Desenvolvimento), o perfeccionismo tem sido associado a problemas de saúde, como distúrbios alimentares, depressão, enxaquecas, ansiedade e transtornos de personalidade. Uma busca excessiva pela perfeição pode também resultar na queda de produtividade, estresse e relacionamentos conturbados.

Auto-estima

O perfeccionismo tem um impacto negativo sobre a auto-estima. Perfeccionistas enxergam a sua própria auto-estima ligada aos resultados que eles alcançam, e acreditam que os outros irão julgá-los sobre isso também. Por nunca estarem satisfeitos com suas conquistas, eles nunca poderão viver nos padrões que estabeleceram para si próprios. Isso pode levar a uma espiral de autocrítica e culpa.

Procrastinação

O perfeccionismo está intimamente ligado à procrastinação. Por exemplo, um perfeccionista não pode iniciar um novo projeto, até que encontre a maneira perfeita para abordar o problema. Devido a essa procrastinação, perfeccionistas muitas vezes ficam para trás com o seu trabalho. Isto pode afetar a sua reputação e as relações de trabalho.

Efeito sobre criatividade

Uma das conseqüências do perfeccionismo é que ele tem uma natureza inibidora: o perfeccionismo nos impede de correr riscos, e isso restringe nossas brincadeiras e nosso desejo de sonhar. Este, por sua vez, reduz a nossa capacidade de inovar e de ser criativo.

Como verificar o perfeccionismo

Perfeccionismo desajustado pode ser bastante fácil de reconhecer em si mesmo. Olhe para algumas dessas ações e comportamentos:

  • Você tem metas muito altas ou irrealistas. Se você não pode ser o melhor, (ou ter certeza de ganhar) às vezes você desiste;
  • Você vê qualquer erro como uma falha, e, se alguém faz uma tarefa ou projeto melhor do que você, você sente que você falhou. Você também pode esconder seus erros dos outros;
  • Você muitas vezes atrasou a entrega do trabalho, porque você teve que refazê-lo, ou você se manteve a procrastinar;
  • Você se sente desconfortável quando você não atinge a sua definição de perfeição;
  • Você não gosta de correr riscos, porque não há nenhuma garantia de que, em seguida, você faça a tarefa perfeitamente. Você fica com as tarefas mais seguras, porque você sabe que você pode realizá-las sem contratempos;
  • Você não aprecia o processo de aprendizagem e do trabalho, você só se preocupa com o resultado;
  • Você muitas vezes apresenta um pensamento de tudo-ou-nada: ou algo é perfeito, ou é um fracasso;
  • Você tem um apego prejudicial às opiniões dos outros. Você sente que, se as falhas estão expostas, os outros irão rejeitá-lo;
  • Você não lida bem com críticas e comentários;
  • Você pode aplicar seus próprios padrões irrealistas para aqueles ao seu redor, tornando-se crítico quando colegas não atendem a essas expectativas. Como resultado, você pode não ter muitas relações próximas no trabalho.
  • Você tem dificuldade em delegar tarefas aos outros.

Você reconhece algum destes traços em si mesmo? Se você fizer alguma das coisas acima, não se preocupe muito – em seguida, vamos ver como você pode gerenciar esses comportamentos.

Desafiando comportamentos perfeccionistas e crenças

Os passos abaixo, que são adaptados a partir de um método desenvolvido pelo Centro de Perth para intervenções clínicas, irão ajudá-lo a desafiar comportamentos perfeccionistas e crenças:

Passo 1: Identificar comportamentos

Comece listando tudo que você faz que devia ser “perfeito” – no trabalho, na sua vida em casa, em seus hobbies e em seus relacionamentos pessoais. Por exemplo, talvez você verifica o seu trabalho múltiplas vezes, ou o entrega atrasado, porque você se preocupou se o fez corretamente. Talvez você chega em compromissos muito cedo, porque tem medo de se atrasar. Ou você pode gastar uma enorme quantidade de tempo a arrumar sua mesa, tempo esse que você poderia gastar relaxando ou trabalhando em outros projetos.

Além disso, examine as coisas que você não faz ou deixa de fazer, por causa do perfeccionismo.

Passo 2: Identificar crenças

Ao lado de cada comportamento, escreva por que você acredita que esta ação deve ser perfeita. Por exemplo, imagine que você nunca delegou tarefas para o seu assistente. Você muitas vezes ficar até mais tarde no trabalho para terminar as tarefas que ele poderia ter feito, caso você tivesse delegado a ele.

Então, por que você não delega tarefas? É porque você acredita que ele vai fazê-las incorretamente, e você vai ficar mal.

Passo 3: Desafiando comportamento

Uma vez feito isso, chegamos a uma etapa específica para superar cada comportamento. Por exemplo, você poderia tentar delegar uma tarefa não urgente ao seu assistente. Uma vez completada, analise-a uma vez para se certificar de que ele a completou corretamente.

Ou, se você verifica o seu trabalho sem fim, porque você acha que pode ter cometido um erro, resolva parar de lê-lo mais de duas vezes: uma vez depois de terminá-lo, e uma vez no final do dia.

Passo 4: Avaliar os Resultados

Depois de desafiar com sucesso o comportamento, veja o que aconteceu. Há possibilidade de não haver consequências negativas. O que você aprendeu? Então, pratique regularmente com comportamentos diferentes.

É provável que você experimente um pouco de ansiedade, desafiando seus comportamentos perfeccionistas. Isto é normal. No entanto, você provavelmente vai descobrir que a sua ansiedade diminui drasticamente depois de ver os resultados.

Dica:

Desafie apenas um comportamento de cada vez: tentar mudar todos os seus comportamentos de uma só vez pode causar muita ansiedade.

Outras estratégias para lidar com o perfeccionismo

Bem como os passos acima, você pode usar essas estratégias para lidar com o perfeccionismo:

1. Estabeleça metas realistas

Os perfeccionistas freqüentemente estabelecem metas tão altas que há pouca esperança de alcançá-las. Em vez disso, aprenda a estabelecer metas realistas. Crie diversos objetivos e depois divida-os em metas de curto, médio e longo prazo. É possível se sentir bem para atingir estes objetivos menores!

Dica:

Os perfeccionistas muitas vezes colocam seus desejos e necessidades de lado para viver de acordo com as expectativas reais ou imaginárias dos outros. Concentre-se em seus próprios sonhos!

2. Ouça suas emoções

Sempre que você está se sentindo ansioso, infeliz, ou com medo de uma tarefa, pergunte-se se você não definiu o seu objetivo muito alto. Suas emoções podem estar dizendo que você está tentando alcançar uma meta irreal.

Se você se pegar engajando-se em auto-sabotagem, como dizendo a si mesmo que você não é bom o suficiente, pare. Lembre-se de que os seus pensamentos influenciam o seu humor e, muitas vezes, suas ações.

Em vez disso, dê foco em usar afirmações, que são declarações positivas sobre si mesmo e suas habilidades. As afirmações podem aumentar a sua auto-estima e reprogramar o seu pensamento. Lembre-se, você sempre tem uma escolha sobre o que você pensa e faz.

3. Não tenha medo de erros

Os erros são parte da vida. Eles podem até oferecer ricas experiências de aprendizagem, se você tiver a coragem de examiná-los. Seus erros podem te ensinar muito mais sobre a vida e suas habilidades do que sucessos poderiam.

Faça um esforço real para aprender com cada erro que você comete. Como resultado, você vai crescer.

4. Reajustar suas regras pessoais

Os perfeccionistas vivem muitas vezes por um conjunto rígido de regras. Essas regras podem ir de “Eu nunca devo cometer erros para que eu jamais seja considerado apenas mais um na multidão.” Embora seja saudável ter altos padrões pessoais, eles precisam ser flexíveis e úteis, não inflexíveis e irrealistas. Identifique regras suas que pareçam rígidas, injustas, ou inúteis. Então reformule-as para que sejam mais úteis, flexíveis e tolerantes.

Por exemplo, imagine que você nunca sugeriu novas ideias durante reuniões da equipe, porque nunca há tempo suficiente para repassar os pensamentos. Você teme sugerir uma idéia que pode fazer você ficar mal, então você sempre se mantém calado. A sua regra pessoal é que você nunca deve oferecer uma ideia até que você tenha tempo para aperfeiçoá-la.

Você poderia reajustar esta regra, dizendo: “As ideias não tem que ser perfeitas durante as sessões de brainstorming. O objetivo da equipe é ter idéias imaturas, falar com eles sobre elas e determinar se elas soam bem. Minha equipe vai apreciar a minha contribuição.” Em seguida, coloque a nova regra em prática!

5. Concentre-se no todo

Os perfeccionistas freqüentemente apresentam “visão de túnel”: eles se concentram em uma pequena parte de algo e ignoram o resto. Por exemplo, se você está em uma dieta, você pode ficar obcecado com falhar e comer a sobremesa no almoço, ignorando o fato de que você seguiu a risca à sua dieta pelas últimas três semanas.

Desafie esta “visão” por se esforçar para olhar o que você fez certo. Não se concentre exclusivamente no lado negativo!

6. Veja lá o que diz a si mesmo

Sempre que você diz a si mesmo que você “deve”, “deveria” ou “não deveria” fazer alguma coisa, preste atenção em como esta demanda faz você se sentir; perfeccionistas costumam usar essas palavras quando estão criando regras pessoais. Alguns exemplos são: “Eu nunca devo cometer erros” ou “Eu deveria ter feito esse trabalho em vez de delegá-lo.”

Tenha cuidado ao usar estas palavras em seus pensamentos, pois muitas vezes estes podem levar você a criar expectativas irreais.

7. Relaxe e seja mais espontâneo

Perfeccionistas muitas vezes acham difícil relaxar e serem espontâneos. Relaxamento e espontaneidade não só são necessárias para uma vida saudável como também podem melhorar a sua produtividade e bem-estar.

Faça pausas regulares no trabalho para se esticar, passear ou fazer exercícios de respiração profunda. Adicione espontaneidade na sua vida, por parar para assistir ao pôr do sol, ou cultivando um novo hobby.

Até lá, viva plenamente, ame abertamente e faça a diferença… hoje!

Coach Thiago Ferreira

Auto Coaching para o Sucesso

prosperidade pessoas cópia

Aprendendo a base de toda autoajuda

sucesso1 cópia Por que tantas pessoas hoje em dia usam personal trainers para ajudá-las a ficar em forma? Afinal de contas, este nível de atenção individual custa um bom dinheiro! Uma razão é que um profissional experiente pode ajudar você a aproveitar melhor o tempo que você gasta na academia, sugerindo o que você deve trabalhar, e para motivá-lo a trabalhar duro para isso.

O mesmo ocorre com um personal ou professional coach.

Mas, pare um minuto! Apesar da popularidade de personal trainers, um grande número de pessoas pode ser visto se exercitando em academias, parques, até mesmo em casa, por conta própria. Elas encontraram o que deviam fazer por si mesmas, e já se motivaram para fazer.

Seja o personal ou professional coach da sua própria vida!

Você pode aproveitar esta abordagem de auto-coaching para a carreira ou em questões de qualidade de vida também.

Neste artigo, analisaremos os passos que muitos profissionais de coaching usam para ajudar aos seus clientes a dar seu melhor – sendo que você pode aplicar essa abordagem para sua própria vida!

IMPORTANTE: É claro que para quem está determinado a alcançar os mais altos níveis de desempenho seria bom ter consultoria profissional, e isso se aplica a questões de carreira e a vida, bem como aptidão pessoal. Para estes, não há substituto para o trabalho com profissionais da Melhor De Você!

Passo 1: Saiba o que quer

clareza cópia

É muito fácil identificar as coisas com as quais você não está feliz e ficar preso nesse estado negativo da mente. Nesta fase, os coaches muitas vezes ouvem comentários como “Ninguém no trabalho me leva a sério”, “Eu preciso perder peso, mas eu não consigo”, ou “Meu chefe é tão frustrante…”.

Mas, se você quer que as coisas mudem, você precisa identificar o que você quer e o que lhe fará verdadeiramente feliz.

Infelizmente, apesar de “saber o que quer” é fácil de dizer, um número surpreendente de nós realmente não sabe disso – e simplesmente dizer-nos para descobrir isto não vai ajudar. E se não sabemos que direção tomar, onde acabamos pode não ser melhor do que o lugar à esquerda!

Outras pessoas têm apenas uma vaga ideia do que querem, e nunca tem tempo para serem mais específicos. Isso significa que eles têm algum sucesso, mas, porque nunca estão totalmente empenhados em uma determinada direção, não conseguem chegar tão longe.

Para superar isso, os coaches encorajam seus clientes a explorar este problema para encontrar a causa real do problema. Por exemplo, Maria pode sentir que sua carreira não está indo a lugar nenhum, porque “ninguém me leva a sério.”. Ela pode descobrir que isso é porque ela fica com todas as pequenas tarefas na equipe, e que, por isso, ela não tem tempo para trabalhar em grandes ideias que mostraria o seu potencial para uma promoção.

Muitas vezes, as pessoas começam a se sentirem “vítimas”, e que a fonte de seu problema está fora de seu controle. Por exemplo, um chefe frustrante não se decide, ou não está sendo possível perder peso. Mas essas pessoas podem descobrir que a sua própria atitude ou resposta contribui para o problema.

Com a causa identificada, “o que você quer” é o inverso dessa situação. Seus novos pensamentos tornam-se “Eu estou focado em tarefas importantes”, “Eu sou claro sobre o que devo e não devo fazer para perder peso”, ou “Estou tranquilo quanto ao meu chefe mudar de ideia.”.

Etapa 2: Definir uma meta SMART

Em The Little Book of Coaching (O Pequeno Livro do Coaching), Ken Blanchard e Don Shula dizem: “Um alvo amplo e que é fácil de alcançar leva à “poça” da mediocridade.” Então, o próximo passo é expressar “o que você quer” como um objetivo claro. Isto pode parecer um passo desnecessário, mas é realmente importante. A declaração de meta corretamente definida vai agir como um motivador. Ela vai ajudar você a não desistir de fazer coisas que deva fazer, mas que talvez você realmente não queira fazer.

Usar a sigla SMART para ajudar a estruturar uma meta SMART significa:

  • Específico;
  • Mensurável;
  • Alcançável;
  • Relevante; e
  • Prazo.

A definição de um período de tempo é particularmente importante, porque é fácil nos atrasarmos ao lidarmos com questões difíceis. Escolha um objetivo que é tanto realista quanto desafiador: se for muito fácil, você vai se cansar e desistir, e se é irrealista, você vai se sentir sobrecarregado, e desistirá em seguida. O segredo é escolher uma data no futuro, que você sabe que pode alcançar – deve ser uma data que vai te fazer se esforçar um pouco, mas não causará stress desnecessário, ou excessivo.

Escreva seu objetivo. Isto o ajudará a esclarecer seus pensamentos, e o ajudará a ver o seu progresso quando olhar para trás e ver os vários passos que você estabeleceu para si mesmo. Dessa forma, você pode verificar se está no caminho certo ou não.

Por exemplo, Fátima é frustrada com seu chefe. Ela pode definir essa meta: “Até o final do mês, eu vou ter aprendido a reagir com calma e de forma positiva sempre que Alex me pedir para refazer algum trabalho. Então eu vou refazer o trabalho, entendendo que é uma oportunidade para impressioná-lo.”.

Veja nosso artigo sobre estabelecimento de metas SMART para saber mais sobre isso.

Passo 3: Agir

Você determinar o que precisa acontecer para movê-lo em direção ao seu objetivo:

  • Você precisa ter uma qualificação especial, ou se inscrever em um curso?
  • Você precisa de ajuda de alguém como um personal trainer ou mentor?
  • Você precisa deixar alguém ou alguma coisa?

No caso de Fátima, ela pode se inscrever em um curso de curta duração sobre técnicas de relaxamento, para que ela possa evitar parecer frustrada quando pedirem algum retrabalho. E ela vai procurar oportunidades para lembrar seu chefe sobre a rapidez com que ela implementa suas mudanças de direção. (Se você está lutando com a falta de gratidão do seu chefe, leia nosso artigo Obtenha o reconhecimento que merece.).

Escolha as ações que o levarão um pouco para fora de sua zona de conforto. Permita-se a assumir mais riscos, porque as limitações que experimentamos na vida são muitas vezes aquelas que criamos para nós mesmos através do medo.

Se você não tivesse medo de falhar e acredita que teria sucesso, o que você faria? Então o que você precisa para começar a fazer hoje?

Passo 4: Seja apaixonado

Certifique-se de que o que você escolheu fazer é realmente algo com o que você se preocupa, e realmente quer que aconteça – caso contrário, você sabe que não vai fazer!

Além disso, observe se você está se segurando um pouco. Às vezes, podemos parar de nos animar sobre um resultado porque duvidamos de nossas capacidades. Se a falta de autoconfiança ou o medo do fracasso está prendendo você, tente o seguinte exercício:

  • Pense em como você reage, se sente e pensa quando está preocupado e incerto. Observe como você fica de pé, os pensamentos que passam por sua cabeça, a linguagem que você usa e os sentimentos que você experimenta.
  • Pense em como você reage, sente e pensa quando tem certeza do sucesso.
  • Observe as diferenças entre os dois estados – elas serão muito óbvias!
  • Agora pense no seu novo objetivo. Enquanto estiver fazendo isso, respire, fique de pé e fale do jeito que você faz quando você está certo do sucesso. Você deve sentir que está se aproximando do seu novo objetivo com muito mais convicção e determinação.
  • Continue repetindo memórias de sucessos do passado e se concentre nelas enquanto você planeja sua meta. Até que se veja como bem-sucedida, e até que você se recorde de que conseguiu muitas coisas no passado, é improvável que você atinja o seu objetivo da maneira que você realmente quer. Isto porque muitos de nós parecemos ter uma tendência natural para nos concentrar no negativo e em nossas falhas.

Passo 5: Seja persistente

Você costuma desistir quando se depara com um obstáculo? Você vê isso como um sinal de que você não está destinado a continuar, ou que não é capaz de continuar?

prosperidade pessoas cópia

Se este for o caso, então, vale a pena lembrar histórias de sucesso do passado – como a do Coronel Sanders, que criou o Kentucky Fried Chicken (cadeia de fast food americana que serve frango frito). Ele não cumpriu o seu sonho até que completou 65 anos. Diz-se que quando ele tentou vender sua receita de frango para restaurantes, ele foi recusado 1.009 vezes antes de ouvir seu primeiro sim.

E o que dizer de Walt Disney? Ele foi rejeitado 302 vezes antes de conseguir financiamento para o seu sonho de criar “o lugar mais feliz da Terra”.

Então, se você se deparar com obstáculos e duvidar se deve continuar ou não, decida se seu objetivo vale a pena. Se valer, seja persistente. Do contrário, volte para o Passo 1.

 

Até lá, viva plenamento, ame abertamente e faça a diferença… hoje!

Coach Thiago Ferreira
Fundador da Melhor De Você
Autor do próximo lançamento – Livro “As 7 necessidades humanas: 70 maneiras práticas de alcançar sua vida ideal.”

Clareza Diária – Gestão de Tempo e Produtividade

Poster cópia1

Hoje em dia, todo mundo reclama da falta de tempo, não é mesmo? Parece que nunca temos tempo para nada, seja agora ou mesmo depois. Muitas vezes, não sabemos como conciliar as diversas tarefas do dia-a-dia… nos deixamos sufocar pelo tempo, não sabendo como administrá-lo. Então, eu quero compartilhar com vocês 4 dicas bem legais sobre gerenciamento de tempo. São dicas rápidas, mas, que se colocadas em prática, multiplicarão a nossa produtividade.

Poster cópia1

 

Gestão de tempo e Produtividade Diária

Ferramenta:  “Clareza Diária” – Há 4 tópicos diferentes

1- Isto Sim/Aquilo não– Serve para vigiarmos quais hábitos diários realmente são necessários e que, por isso, devem ser priorizados em nosso dia-a-dia. Ex: Se alguém tem o hábito de trabalhar ou estudar no computador, necessariamente deve manter sites, como facebook ou de e-mail desligados. Eu sei que é um pouco difícil isso, mas, acredite, o seu rendimento se multiplicará muitas vezes. Não subestime o poder do óbvio! rs

2- Mais disso/Menos daquilo – Foque naquilo que realmente importa para você, não desperdice tempo com futilidade. Ex: Invista seu tempo mais em leitura, em crescimento, na concretização de seus sonhos, e menos em televisão. O importante é manter o importante importante!

3- Quando isto/Então aquilo – ela é utilizada para micro-gerenciar as atividades rotineiras, fazendo com que o tempo renda mais.

Ex: Quando você estiver em seu carro ou fazendo um lanche, decida escutar áudios motivacionais, como o de palestras ou de músicas que te deixam alegre. Preste atenção nos detalhes! O que você decide fazer é que muda o seu destino!

4- Isso agora/Aquilo depois – Quando ao elaborar a sua agenda diária, você estabelece o tempo que pretende levar em tais atividades, de maneira precisa, exata, minuciosa. Ex: Sair do trabalho às 18 horas, buscar roupa na lavanderia, até às 19 horas, chegar em casa, no máximo, às 19h15.

“Somos o que repetidamente fazemos! A excelência, portanto, não é um feito, mas um hábito!” (Aristóteles)

Enfim, elaborem suas agendas diárias, utilizem essas pequenas dicas, para gerar resultados altamente satisfatórios em seu tempo! Viva plenamente! Ame abertamente e faça a diferença… hoje!

Um grande abraço!

Melhor De Você

O Corpo Que Você Merece!

corpo

Ame-se! Top 5 dicas sobre como alcançar seus objetivos em exercícios físicos!

corpo

Tempo de leitura: 1 min 47 segundos

A vida é extremamente corrida hoje em dia – mesmo assim, parece que sempre incluímos mais coisas nela. Então, quando se trata de fazer exercícios físicos, há muitos fatores que podem nos atrapalhar e nos desviar da trilha – não importa o quão boas sejam as nossas intenções!

Espero que você goste destas poderosas e práticas “Top 5 dicas”, que por sinal, são divertidas e centradas em ação sobre como alcançar seus objetivos de exercício:

 

 

1. Faça todos os dias. Não diga que você vai correr / fazer yoga / fazer essa vídeo-aula uma ou duas vezes por semana – faça-o diariamente. Por menos tempo, se necessário – 10,15 ou 30 minutos por dia. Desta forma, isso irá se tornar um hábito saudável. E se você perder um dia, você vai estar de volta no dia seguinte!

Exemplo: Eu costumava correr duas vezes por semana e era uma tarefa árdua. Às vezes me sentia cansado e perdia uma corrida. Portanto, eu não corria a seguinte, e depois pensava: “só falta um dia até a próxima corrida desta semana, então eu posso muito bem esperar, certo?” Você sabe o que acontece em seguida – Eu parei completamente. Assim, decidi agora correr em um período mais curto, porém todos os dias. Quando me levanto, eu sei que estou indo executar, não há nenhuma decisão a ser tomada – é simples. E é realmente uma vitória múltipla, uma vez que eu também tenho de passear com o cachorro, e isso me poupa muito tempo… Veja a próxima dica!

2. Encontre as vitórias múltiplas. Este é o meu objetivo e planejamento de ação favorito: encontrar a ação ou a solução que possui a maior quantidade de vantagens. Essencialmente, isso significa escolher uma atividade de exercício ou momento, que apresenta muitos benefícios e razões para que você deseje e anseie agir sobre!

Exemplo: Eu tive um cliente que decidiu ir de bicicleta para o trabalho. Acontece que ele levou a mesma quantidade de tempo de quando ia dirigindo e isso o fez conseguir as seguintes vitórias: 1) Economia de dinheiro – gasolina e estacionamento / ônibus e academia 2) Condicionou-se fisicamente, 3) Melhoria para o meio ambiente (isso era importante para ele), 4) Pedalar pelo parque da cidade, todas as manhãs, o deixou se sentindo calmo e ligado à natureza, 5) Perdeu o excesso de peso, 6) Sentiu-se forte e confiante. 7) Fez inesperados amigos novos, que também iam de bicicleta para o trabalho!

3. Pare de dar desculpas. Estamos todos cheios delas: eu não me sinto pronto, estou cansado, não tenho tempo para um banho, preciso chegar cedo no trabalho, tenho uma reunião, preciso buscar um cartão de aniversário ou ir à lavanderia, etc… Pare de dar desculpas. Se você realmente estiver doente ou muito cansado, simplesmente não se exercite! Ter uma razão para não fazer exercícios é comum, mas não dê desculpas. Então, a menos que haja uma razão muito boa, você deve simplesmente decidir se exercitar. Pare de dar desculpas e nada vai impedi-lo!

4. Torne divertido. Ama a natureza ou vistas deslumbrantes? Faça caminhadas ou corridas! Ama a água? Aprenda a remar ou a andar de caiaque! Ama roupas brilhantes? Já tentou dança do ventre? Tem uma quedinha por um personal ou instrutor? Compre seu DVD de exercício! Ama salto alto? Talvez você curta roupas de gala! Ou quer algo divertido para fazer com um parceiro? Tentou dança de salão? O exercício pode ser divertido – quando nós o deixamos ser. Pelo que você está apaixonado? O que você sempre quis aprender? Torne-o divertido, e o exercício fica muito mais fácil!

5. Faça-o aquilo que é gostoso com alguém. “Não, isso não! (Bem, talvez!)” rs. Eu quero dizer encontre um amigo ou um colega de exercício! Também conhecido como parceiros de “responsabilidade”. Ele não tem de ser alguém que você conhece bem – mas se você sabe que estão te esperando, é mais provável que você apareça! E quanto maior vínculo houver entre os companheiros de exercícios, mais, você vai querer estar lá, e talvez possa até fazer algumas novas amizades ou mais profundo, ainda, novos negócios! Isso é uma vitória múltipla, não?

2 Dicas de Exercício Bônus focadas sobre como alcançar objetivos!

1. Variação em “Faça todos os dias”: basta decidir fazer uma atividade diferente (mínimo de 10 minutos) a cada dia. Isso significa que se você não sente vontade de correr, poderia fazer flexões ou dançar na sua sala por uns 10 minutos. Uma ótima maneira de começar um exercício diário é torná-lo fácil e mantê-lo divertido. E continuar a desenvolver o hábito do exercício…

2. Crie um ritual de exercício para antes ou depois da atividade física. A recompensa poderia ser uma boa xícara de chá e uma esparramada no sofá. Você pode escrever em seu diário ou tomar um bom banho com seus produtos favoritos para o corpo. Em um ritual de grupo pós-exercício, use-o para apoiar e encorajar uns aos outros: poderia ser um “feedback” verbal de todos, enquanto vocês se aquecem, ou quem sabe, tomar um açaí e combinar um happy hour depois, ou ainda um encontro social mensal. Você decide – mas, fazer o ritual divertido é um ‘dever’!

“Eu tenho de me exercitar no período da manhã, antes que meu cérebro descubra o que eu estou fazendo.” Marsha Doble

Coach Thiago Ferreira

Viva plenamente, ame abertamente e faça a diferença… hoje!

Melhor De Você

Estréia da Melhor De Você: Discutindo Valores

imagem corredor cópia

É isso aí, pessoal!

Estamos instalados e prontos para dar o melhor da gente para que você possa definir e viver o Melhor De Você. Seja bem vindo e saiba que me sinto honrado por poder te acompanhar nessa sua jornada em busca de crescimento,imagem corredor cópia contribuição e propósito.

Mas para falar a verdade, eu sei que alguns podem dizer que nem sempre é possível estar radiante, satisfeito ou feliz, ao menos não constantemente.  Mas se você quer saber, chega de viver em uma montanha russa com picos e quedas de energias, emoções e resultados. Eu entendo as práticas que nos levam a querer e ter desempenhos de picos, mas eu não quero que minha vida seja ao olhar para trás, um gráfico de aparelho de monitoração cardíaca, repleto de sobe e desce.

Eu quero viver uma vida com energia constante, estável e sustentável. Esse é o motivo, é estar no topo de suas faculdades mentais, físicas e produzir uma vida exemplar. E tudo isso de forma natural. Nada de grandes impactos que perturbam a nossa natureza e sim verdadeiro com quem nós somos e inspirador ao quem queremos nos tornar.

Esta coluna será um combate voraz e sem aviso no que diz respeito ao tédio, a mediocridade, ao apego, ou ao viver uma vida comum, normal ou mediana. Será sobre o que realmente nos engaja e não somente algumas “ferramentinhas” específicas ou pequenas estratégias que você pode ter para quem sabe um dia conseguir sentir uma faísca de energia.

Nela, você vai encontrar como construir uma mudança estratégica de estilo de vida na sua vida para ter um desempenho ainda melhor. Não uma ilusão pontual do tipo, ótimo, hoje eu vou conseguir produzir mais no trabalho, por exemplo. Isto também será discutido, mas é, contudo, uma forma de como você pode organizar e construir essa vida de que tanto se orgulha de maneira vibrante e pela qual você se compromete a ser o Melhor De Você. Não se trata de uma frase de efeito que faz seu corpo se empolgar naquele instante te dando fôlego para percorrer mais alguns passos, não é disso que se trata.

É por tanto, uma perspectiva que faz você se sentir mais vivo. Afinal, não é disso que estamos todos atrás?

Mas aí eu te pergunto:

Infeliz? Você pode estar desconectado de seus valores!

Tempo de Leitura: 1 min 44 segundos

Você já se sentiu infeliz, desconectado de si mesmo, insatisfeito, triste, deprimido ou que há algo faltando em sua vida? Muitas vezes, quando nos sentimos assim é porque nós não estamos vivendo nossos valores. E pelo fato de que nossos valores representam o que somos, quando não honramos esses valores, o que realmente estamos dizendo é: eu não sou importante. E isso sempre vai fazer você se sentir mal.

Então, se você está se sentindo infeliz ou mesmo insatisfeito, aqui estão sete exemplos de como você pode ter se desconectado de seus valores:

1. Você formou uma associação negativa com um de seus valores.

Exemplo: Uma criança pequena expressa admiração, deslumbramento, ou um adolescente é idealista sobre o mundo, e um pai faz graça com a cara deles, ou com raiva, critica que eles estão perdendo tempo ou sendo estúpidos. Nós aprendemos a suprimir e a deixar de expressar o nosso deslumbramento ou idealismo, porém, mais tarde, ao longo da vida, nos sentimos miseráveis, como se algo estivesse faltando em nossas vidas.

Nós aprendemos que expressar esse valor central levou a problemas – vergonha, ridículo, raiva. Então, quando nos tornamos adultos, nos desviamos para evitar expressar esse valor fundamental – mesmo que ele seja realmente importante para nós.

2. Você tem medo do que seus valores representam.

Exemplo: Durante a recuperação de uma grande ameaça à saúde aprendemos o quanto o descanso e o relaxamento são importantes para nós, ainda assim, uma vez recuperados, vamos voltar a trabalhar até tarde e nos fins de semana. Teremos mais problemas de saúde, discussões com nosso cônjuge, etc. Nós nos sentimos presos, mas não sabemos como quebrar esse ciclo.

logica-do-amor cópia

Temos medo e não sabemos o que fazer quando nos damos conta dessa mudança de vida. Isso significa que devemos enfrentar alguns desafios difíceis. Porém, ao invés de implementar o que aprendemos, é mais fácil voltar a viver a nossa vida da maneira como sempre fizemos.

3. Você decidiu ter novos valores, mas ainda está vivendo os antigos.

Exemplo: Um pai nos ensinou: “O trabalho duro, isso é tudo o que importa!”, Mas ultimamente temos percebido o quão importante é a diversão. Ainda assim, continuamos a nos pressionar cada vez mais e mais e aumentando os níveis de insatisfação com a vida e os conflitos internos.

Nossos valores estão desatualizados. Nós estamos vivendo nossas vidas de acordo com um valor que nos foi ensinado – mas no qual não acreditamos mais.

4. Um valor negativo está tão profundamente enraizado, já se tornou um hábito – e você nem está consciente disso.

Exemplo: Nós tivemos um pai que nos ensinou que “um homem grandioso, onde quer que estivesse- deveria ser sempre melhor do que aqueles que o rodeavam. Como resultado, nossos pais se divorciaram, e nós decidimos que seriamos diferentes. No entanto, continuamos a perturbar o nosso cônjuge e colegas de trabalho através do nosso hábito inconsciente de ter a última palavra. Por que as pessoas estão chateadas com a gente? O que há de errado com todo mundo?

Estamos simplesmente cegos pelo hábito. Nós CONSCIENTEMENTE rejeitamos um valor que nos foi ensinado, mas ainda sim o expressamos INCONSCIENTEMENTE em nossas vidas.

5. Você está tão focado em um valor que perdeu de vista o quadro geral.

Exemplo: um valor de excelência pode tornar-se tão importante e extremo que sacrificamos nosso fim de semana (deixando de estar presente no jogo de futebol do filho) apenas para concluir um trabalho em um padrão excessivamente alto. Excelência tornou-se perfeccionismo – e tem suplantado valores importantes como família, amor e felicidade. Nós nos sentimos miseráveis, mas não sabemos como nos desapegar.

Nós nos tornamos obcecados pelo valor. Nós colocamos tanto esforço em um valor, que perdemos de vista o quadro geral. E isso nos impede de expressar outros valores iguais e possivelmente mais importantes.

6. Você não sabe quais são seus valores, então você imita os outros.

Exemplo: Nós admiramos a devoção de João em ajudar aos outros. Nós pensamos que queremos ser como ele, então, trabalhamos como voluntários, continuamente, o que não nos deixa tempo para nossas próprias paixões e atividades. Acabamos cansados, irritados e infelizes – mas não sabemos por quê.

Não temos certeza de quem somos. Observamos qualidades em alguém que admiramos e tentamos imitar os seus valores – quando não somos realmente nós.

7. Você não está vivendo plenamente os seus valores.

Exemplo: Temos feito tudo certo, nós temos a vida perfeita e todo mundo diz o quanto temos sorte. Sabemos que deveríamos estar felizes, mas sentimos que estamos vivendo a vida de alguém. Estamos insatisfeitos e frustrados, mas não conseguimos explicar o porquê.

Nós crescemos em um ambiente onde estávamos constantemente sendo informados de como ser. E éramos recompensados com amor e carinho, quando fazíamos o que era esperado de nós. Estamos vivendo a vida, através de recompensas. Nós aprendemos como devíamos ser, mas não como realmente somos.

Então, com qual desses 7 (sete) exemplos você se identifica? Você sabe quais são seus valores?

Conhecer seus valores é muito importante, porque ainda que você tenha uma vida orientada por eles, pode haver dificuldades. Porém, ao viver os seus valores, preenche-se esse vazio, e isso te conecta a você mesmo. Tal atitude propicia aumento da confiança, auto-respeito e auto-estima. Conhecer e respeitar os seus valores é um trampolim para reivindicar o seu poder original e criar uma vida verdadeiramente gratificante e significativa.

monginho cópia

“Quando começamos a cultivar a consciência de nossos pensamentos e emoções, começamos a ver o quanto vivemos de acordo com as crenças e ações de outras pessoas e da sociedade. Não fique chateado com isso. Basta entrar em contato com o que realmente pensa e sente e começar a expressar a sua autenticidade.” – Alan Keightley

Viva plenamente, ame abertamente e faça a diferença… hoje!

Coach Thiago Ferreira

Melhor De Você

Faxina na Sua Vida: 10 perguntas para si mesmo!

Faxina na Sua Vida: 10 perguntas para si mesmo!

Tempo de Leitura: 1 min 03 segundos

Olá pessoal,

Estreando a Coluna Melhor De Você, toda quarta-feira aqui no Calangos.net! E nada melhor para começar os trabalhos em um ambiente novo do que fazendo uma faxina antes.

Para muitos de nós, a faxina é sempre uma tarefa indesejada. Mas, se você está desejando mudanças, ela é uma grande oportunidade para refletir e ter uma “fonte limpa” de visão e clareza sobre os seus objetivos. Aqui estão algumas perguntas de Coaching poderosas para se formular, como parte da limpeza. São ótimos questionamentos a se ponderar, por exemplo, em uma caminhada, durante o café, tomando um copo de vinho, com os amigos ou ao escrever em seu diário…

Mas antes, veja se você gosta da nossa declaração. Se quiser copie, compartilhe e ou imprima para lembrar do que é verdade em nossas vidas.

VERDADESMDV

Aqui estão suas 10 “fontes de limpeza na sua vida!”:

1. O que você tolera? O que é frustrante para você agora?

As situações toleradas ou frustrantes sugam a sua energia – pense sobre como reduzir, delegar, pagar a alguém para fazer ou dizer “não” a elas.

2. Onde você está “persuadindo” a si mesmo? (Usando “eu deveria”, como uma forma de priorizar ou fazer as coisas. Ex: eu deveria estudar mais).

É hora de se perguntar: “O que eu quero aqui? O que eu acho mais importante?” ou “O que é melhor para mim?”.

3. Quais são os “Top 3 sugadores de energia” em minha vida no momento?

Precisamos de energia para novas experiências. Sugadores de energia são fatores decisivos para se reduzir, dizer “não” ou se livrar (sejam coisas, tarefas ou pessoas).

4. O que você realmente deseja na vida agora?

Como você pode avançar se você não sabe que direção tomar?

5. Qual o único hábito novo DIÁRIO você pode introduzir em sua vida que faria a maior diferença positiva?

Basta escolher um novo hábito, algo com múltiplos benefícios. Execute diariamente. Esqueceu-se de executá-lo hoje? Está tudo bem, basta começar de novo no dia seguinte.

6. Do que você precisa se desapegar? O que iria aliviar a sua carga ao se desapegar?

Esse poderia ser um pensamento ou uma crença limitante, uma meta, um relacionamento ou algo menor. Só você sabe…

7. a) Com quem você gostaria de passar mais tempo? (Quem te aceita integralmente, te inspira, apóia e incentiva você?)

b) Com quem você gostaria de gastar menos tempo? (Quem te coloca para baixo, te deprecia, desencoraja ou estressa você?)

Tente passar mais tempo com as pessoas de apoio e crescimento, e menos tempo com as pessoas que atrasam ou te puxam para baixo.

8. O que você sabe que precisa simplesmente fazer? O que você está adiando, mas que você gostaria muito de já ter finalizado?

Alguém aí se lembrou do imposto de renda? Tarefas necessárias não atendidas nos devoram por dentro. Agende algum tempo, isso mesmo! Marque e reserve uma hora (ou obtenha alguma ajuda) e se concentre em como você vai se sentir uma vez completada a atividade. Apenas faça!

9. Onde você quer estar em 3 meses?

Pense sobre o que você deseja que se mantenha e o que quer de diferente?

10. Finalmente, PONDERE sobre seus “Top 3 objetivos de limpeza”. Quais são os três objetivos nos quais você poderia trabalhar?

Identifique suas “Top 3 Metas” para “uma fonte de vida limpa”, anote-as já!

Te espero na estréia de quarta-feira! Até lá, viva plenamente, ame abertamente e faça a diferença… hoje!

Coach Thiago Ferreira

Melhor De Você

Pular para a barra de ferramentas