Toda gastança não resolveu nada

Toda gastança não resolveu nada

Toda gastança não resolveu nada

Diante de tudo que acontece no Brasil, diante de tudo que a gente está vendo nas ruas brasileiras, o que eu vou falar aqui são problemas menores, muito pequenos perto de tudo isso. Mas como essa é uma coluna sobre esporte e já houve muito investimento público, muito investimento por parte dos organizadores, é preciso destacar as diversas falhas de organização da Copa das Confederações. Repito, são problemas muito pequenos perto de tudo que está acontecendo no Brasil, mas impressiona como em uma competição milionária falte comida nos estádios, falte dinheiro para passar troco para as pessoas, não podemos esquecer também das questões que envolvem a locomoção das pessoas.

Todas essas manifestações contra a Copa são porque estamos vendo essa gastança e que tudo o que foi investido não está resolvendo nada. Toda a gastança não está resolvendo nenhum dos problemas que imaginávamos que seriam resolvidos, como a questão do tráfego aéreo brasileiro. Eu estava no Aeroporto de Brasília nos dias que antecederam a abertura da Copa das Confederações e vi que não mudou nada no dia a dia de quem já está acostumado a frequentar os aeroportos brasileiros. O transporte público nas cidades que envolvem a Copa das Confederações continua bagunçado.

É impressionando como as pessoas que organizam a Copa das Confederações não conseguem fazer com que questões básicas funcionem. E eu não aceito a desculpa de que é um evento-teste, porque ter alimentação dentro do estádio não precisa de um evento-teste. O teste é todo final de semana no Campeonato Brasileiro. Ou jogo de Campeonato Brasileiro não serve para saber que se precisa de comida, para saber como funciona o transporte público, o tráfego aéreo? Impressiona como tudo que foi investido na Copa das Confederações gere problemas. É uma incompetência absurda! E quem sofre no final das contas é o público que vai ao estádio e paga caro, porque o ingresso da Copa das Confederações não é barato. Eu fico impressionado com essa quantidade de falhas.

Mas dentro de campo a Copa das Confederações tem sido boa, com o último jogo, espetacular, da Itália. O Brasil com uma estreia boa e o segundo jogo já não tão bom assim. E o Taiti vai agradando o público brasileiro. Mas fora de campo infelizmente a Copa das Confederações segue com problemas.

Pelé pede ao povo que pare com manifestações para apoiar a seleção

pele_1

Você pode está pensando: Esse aí não é o Pelé! É um sósia do Pelé!

E não é que em meio às manifestações por um Brasil melhor e mais justo, o “Rei do futebol” reaparece?! E reaparece para pedir ao povo que pare de protestar para apoiar a Seleção Brasileira. Sim, é o Pelé! E esse vídeo não me surpreendeu. Posições desse tipo não são nada surpreendentes partindo de Edson Arantes do Nascimento, que se tornou um dos homens mais conhecidos do planeta porque quando jogava futebol era o maior de todos, o Pelé. Eu não estranho o Pelé. O PELÉ NUNCA ME REPRESENTOU!

Os gastos absurdos com a Copa do Mundo não são novidade. Depois de muito tempo o cidadão brasileiro percebeu isso e colocou no caldeirão todas as outras razões que o levam à indignação como o transporte ruim, saúde precária e educação desprezível. Então surge o Edson pedindo às pessoas que deixem isso para lá?!

Imagina se o personagem Pelé clamasse por manifestações pacíficas, criticasse aqueles que agem violentamente, mostrasse sua posição firme e a favor dos motivos das manifestações? Imagina a repercussão mundial que teria isso. Mas pedir ao povo brasileiro que “esqueça toda essa confusão”? E a isso que ele resume os acontecimentos dos últimos dias, uma “confusão”? A declaração do Pelé é um desastre, é um dos maiores desastres da vida pública dele.

A trajetória do Pelé sempre foi essa. O Pelé foi o maior jogador de todos os tempos, mas o certo sempre foi o Romário:

Vamos protestar também Nação

thumbs-190x190

Se tem uma coisa que eu gosto de fazer é falar sobre o Flamengo e faz tempo que eu não faço isso por aqui. Nos últimos dias o povo brasileiro resolveu ir às ruas demonstrar suas insatisfações com o país, cada um tem seu motivo para isso. E como somos uma Nação eu não poderia ficar de fora dessa, fiz meus cartazes sobre os últimos acontecimentos rubro-negros e resolvi protestar também:

ceVai jogar vagabundo!

maracaIsso é fato!

heptaÉ isso que eu quero e preciso!

hernanePrecisamos de um ídolo!

manoAaaaaaaaah lelek lek lek lek lek lek lek lek lek lek…

patyApenas uma precaução!

viceNunca é demais xingar…

florVocês tem uma dívida com a sociedade!

carecaNunca vi tanto careca no meu Mengão!

caneladaAs manifestações perderam o sentido!

Há tempo de lutar contra absurdos da Copa

Foto: Breno Fortes/CB/D.A.Press

A imprensa brasileira, principalmente a esportiva, em sua grande maioria sempre se calou. Alguns por não terem liberdade para falar aquilo que pensam outros por serem covardes mesmo e não quererem se manifestar mesmo tendo liberdade para isso e alguns por conveniência. Nos últimos anos sempre me posicionei com relação a esses absurdos todos que envolvem a Copa do Mundo e uma coisa me incomodou muito semana passada quando estava conversando com alguns colegas. Eu estava falando sobre os absurdos da Copa do Mundo no Brasil, de todo o dinheiro torrado em estádios, que não deveriam existir, e todas as exigências e desmandos da FIFA e um deles disse para mim: “Vai morar em outro país, vai embora!”. Como se eu detestasse o Brasil, sendo que é o contrário. Amo meu país e quero que ele melhore não que piore.

Eu conheço pessoas que dormem três, quatro horas por noite porque passam o dia dentro de um busão cheio para chegar ao trabalho ou em casa e é muito bom ver as pessoas saindo às ruas para manifestar em relação a isso, é emocionante ver algumas pessoas que não dependem de um ônibus, de um metrô para chegar ao trabalho, à escola, faculdade, seja lá onde for e que estejam preocupadas com aqueles que precisam. E o Governo torra dinheiro em que? Nesses estádios todos que foram e estão sendo feitos, para atender ao Blatter, ao Jérôme Valcke… O Brasil está se curvando perante essas pessoas, que não tem currículo que mereça tanto respeito assim. É só observar os escândalos que envolvem a FIFA nos últimos anos.

É fantástico que isso aconteça e tomara que o povo, que parece que acordou, não volte a adormecer. Que se manifeste mesmo, claro sem excessos, infelizmente acontece um ato ou outro de violência. Mas é muito bacana que as pessoas finalmente se rebelem contra tudo de errado e inclusive contra a Copa do Mundo, que vai ser no ano que vem e ainda há tempo de lutar contra vários absurdos. Como por exemplo, o estádio PARTICULAR do Curintias que está sendo construído em São Paulo com isenção fiscal de R$ 420 milhões dado pelo ex-prefeito e vereadores. Com tantas necessidades que existem naquela região, onde está sendo construído o estádio. Não moro em São Paulo, mas duvido que alguma coisa tenha melhorado na região de Itaquera.

Então, ainda dá tempo de lutar. Que menos absurdos aconteçam até o Mundial do ano que vem.

Vaias, correção e plateia

DSC00339

Mais uma vez estive no estádio Mané Garrincha. Desta vez na abertura da Copa das Confederações, e os presidentes Dilma Rouseff (Brasil) e Joseph Blatter (FIFA), receberam muitas vaias no estádio. Justo ou não, aconteceria contra qualquer político que se apresentasse em seus lugares. Mas para mim foi lindo está presente no estádio e ver e ouvir a vaia para o Blatter. E ainda ele quis dá uma de mestre de cerimônia pedindo “Fair Play” e recebeu mais vaias.

Em 2007 Lula foi vaiado no Pan-americano, se o Fernando Henrique tivesse no Pan-americano seria vaiado? Com certeza! A vaia não foi exatamente para a Dilma, seria para qualquer outro político envolvido nessa gastança de dinheiro público em estádios de futebol para a Copa do Mundo e para a Copa das Confederações, que acontece agora. Para mim a vaia para a Dilma é justa e seria justa para qualquer um que entrou nessa farra de Blatter e Cia. de gastar dinheiro com estádio público. Se tem interesse político é outra questão, mas parece que o brasileiro de certa forma começou a se indignar, demorou, mas começou a perceber.

A vaia foi para tudo e para todos, mas foi na figura da presidente da República. Foram as vaias contra os 40 Ministérios, foram as vaias para essa indefinição de alianças que as pessoas não entendem, foram as vaias para aquelas pessoas que se sentem traídas quando votam numa ideia e veem inimigos da ideia acabar adotando a mesma ideia por oportunismo. O estádio Mané Garrincha é magnífico, mas personifica maravilhosamente bem a homenagem ao excesso, é uma homenagem à obra faraônica. Porque aqui em Brasília dificilmente se achará um solução para fazer dele aquilo que ele deveria ser, um lugar frequentado.

Eu disse que o estádio é magnífico, mas alguns pontos devem ser aprimorados no estádio Mané Garrincha. O gramado não é bom, mais uma vez a telefonia não funcionou, fila nos bares… Nesse aspecto, se é um evento-teste é hora de errar para corrigir, mas o que tem para corrigir é uma grandeza. Mas mais uma vez eu digo, o estádio é belíssimo, tanto por fora, quanto por dentro, até mais fora do que por dentro, mas é muito bonito por dentro também. Falta muita coisa dentro do estádio. Por exemplo, a foto a seguir:

DSC00346

E para finalizar, quero falar sobre o comportamento da torcida durante o jogo do Brasil. O que dita o comportamento do torcedor? É a atuação do time em campo. O torcedor não é espectador. Torcedor torce, é óbvio. Ele ajuda, ele apoia, se o jogo não está bom, ele grita, ele vai tentar incentivar e se o jogo terminar mal ele vaia, reclama e volta para casa revoltado. Mas esse pessoal que vai a jogos esporádicos não sabe muito bem como se comportar.

Assisti grande parte do primeiro tempo do lado de três moças. Era uma coisa absolutamente diferente do que eu conheço como torcedor, parecia que elas estavam em uma balada. A única coisa que elas não faziam era assistir ao jogo, mas estavam maravilhadas com o que estavam vendo (não o jogo). Eram muitas fotos sendo postadas nas redes sociais, não que eu estava bisbilhotando a conversa e as atitudes delas, é que era impossível não ouvir e reparar. Elas são de alguma maneira as representantes da transformação da torcida em plateia. Acho que o risco da torcida brasileira vaiar a Seleção nessa Copa das Confederações é mínimo.

A sensação que eu tenho é que a torcida que está indo ao estádio, pagando caro, pensa que está indo para uma balada e se ela vaiar no começo do jogo a “balada” vai ficar ruim e vai atrapalhar o time mais do que ajudar.

“Neymar Jr” no Barcelona

622_f6fce1f9-dcc0-3af4-9030-992d9c611ebc

622_f6fce1f9-dcc0-3af4-9030-992d9c611ebc

Encheu o saco a apresentação do “Neymar Jr” ao Barcelona! Aquela coletiva, todo mundo falando em catalão, até o “Neymar Jr” arriscou umas palavras em catalão! O “Neymar Jr” foi bem falando que vai ajudar o Messi, claro que é um discurso todo pronto. Dentro desse mundo globalizado, onde corre muito dinheiro, o “Neymar Jr” foi muito instruído para essa apresentação. Mas o “Neymar Jr” não apenas um fantoche, aprova disso é que teve uma hora que o “Neymar Jr” estava ao lado do Zubizarreta e “Neymar Jr” lembrou que o Zubizarreta foi goleiro do Barcelona, uma coisa que podia ter passado despercebido.

E para a surpresa de alguns, nada de “Neymar” nas costas. Mas “Neymar Jr”, por quê? Porque é o nome da marca lançada por “Neymar Jr” no segundo semestre do ano passado. A opção faz parte de expandir o mercado para fora do Brasil. Dentre os segmentos de mercado buscados por “Neymar Jr”, estão bolsas, perfumes, etc.

Um dos fatores que pesou na escolha de “Neymar Jr” pelo Barcelona foi exatamente o lado publicitário. Se tivesse acertado com o Real Madrid, o “Neymar Jr” seria obrigado a cancelar, por exemplo, seu contrato com a Volkswagen, pelo fato de o time de Madrid ser patrocinado pela Audi. Com um salário menor no Barcelona, o “Neymar Jr” compensa a diferença com o trabalho fora de campo. Ao todo, “Neymar Jr” conta atualmente com 12 patrocinadores. Dentre os 12 patrocinadores, um dos mais felizes é a Nike que patrocina o Barcelona, um dos times mais valiosos do planeta, e não pode explorar a imagem do Messi, melhor jogador do mundo, patrocinado pela rival Adidas. Bons ventos soam para o lado de “Neymar Jr”.

Enfim, desejo toda a sorte do mundo para o “Neymar Jr”, que ele faça muito sucesso no Barcelona. Porque bem assessorado o “Neymar Jr” já está!

Uma reflexão: E quando o Neymar voltar?

981403_10201248058104542_430807926_o
Foto: Andre Borges / Agência Brasília

Mais um final de semana no Mané Garrincha. Depois do primeiro evento-teste, o mais novo estádio de Brasília recebeu o segundo evento-teste. Entre erros e acertos, o novo Mané Garrincha sobreviveu a mais um teste. O estádio recebeu 63.501 pessoas para o empate de 0 a 0 entre Peixe e Flamengo, pela primeira rodada do Brasileirão. O principal evento-teste para o torneio da FIFA, que acabou marcando ainda a despedida de Neymar, mais uma vez foi merecedor de elogios. A segurança, a beleza e a estrutura geral do estádio de R$ 1,2 bilhão me agradaram mais uma vez. Mas é consenso de que algumas coisas ainda precisam melhorar nos próximos dias para que o estádio esteja pronto para receber a abertura da Copa das Confederações, no dia 15 de junho. O fato de ainda estar inacabado, filas gigantescas, bares fechados não assustam. É coisa que um ajuste aqui e outro ali resolvem. A verdade é que o Mané Garrincha está espetacular, mas vamos cair um pouco na real…

Muitos tem se perguntado: O que será do Peixe agora com a saída do Neymar?  Mas a pergunta que eu tenho feito é: O que será que vai acontecer quando o Neymar voltar, daqui uns 10 anos? Ele vai jogar em Brasília de novo? Vai ter sentido ele vir a Brasília de novo? Se ele jogar de novo em Brasília a renda vai ficar com quem tem que ficar? Quando o Neymar voltar ele vai jogar estadual, vai ter estadual ainda? Quando o Neymar voltar vai ter liga de clubes? Quando o Neymar voltar, provavelmente o melhor jogador do Brasil ou quem sabe do mundo, será convocado pelo então técnico da Seleção Brasileira?

O que a gente tem plantado para os nossos próximos 10 anos, quando o Neymar voltar? Apenas os nossos estádios? De que maneira você que vive em Brasília, por exemplo, vai olhar para o Mané Garrincha? Apenas a lembrança longínqua da Copa do Mundo que teve aqui durante exato um mês, lá em 2014? O Mané Garrincha vai ter algum sentido para você?

Na África do Sul, sede da última Copa do Mundo, o estádio da Cidade do Cabo poderá ser implodido. O estádio Soccer City está sendo usado para casamento. E aí daqui a 10 anos, o torcedor de Cuiabá, se o estádio ainda estiver lá, olhará para o estádio e se perguntará: “Para que fizemos isso?”. O mesmo vale para o torcedor de Manaus, o de Natal, o do Recife, o de Brasília… Porque não vai ter Peixe X Flamengo toda semana, não vai ter Beyoncé toda semana, não vai ter Rolling Stones toda semana. Quem estará aqui será a Ivete Sangalo, mas uma vez por ano. Temo muito pelo que acontecerá em 2023, temo que o Neymar volte, olhe e diga: “Poxa vida, mas não mudou nada. Vou ter que jogar lá em Mogim Mirim de novo? Naquele gramado?”.

Não bastasse o Engenhão com seis anos de uso interditado, na Fonte Nova, em Salvador, já caiu parte da cobertura por causa de uma chuva forte. Alguém pode está lendo este post e lembrar que em Frankfurt também se deu a mesma coisa quando o Brasil jogou lá na final da Copa das Confederações de 2005 com a Argentina. De fato a água acumulou, virou uma cachoeira, mas a cobertura não caiu. Imagine se cai durante a Copa das Confederações? Na Fonte Nova vão ter três jogos lá, inclusive Brasil X Itália. No Brasil se usa muito o modo de produção “Sérgio Naya”: superfaturamento e atraso que se compensa com material vagabundo para acabarem logo as obras.

E a CBF abriu o Campeonato Brasileiro de maneira ofuscante, pegando o jogo mais interessante da rodada, entre os campeões estaduais Curintias e Bostafogo, e colocando em um sábado às 21 horas. Não é à toa que o presidente da CBF, José Maria Marin, foi à Londres assistir a final da Liga dos Campeões da UEFA, em Wembley, e não estava aqui para abrir o Campeonato.

Voltando ao jogo entre Peixe e Flamengo, a renda da partida foi de quase R$ 7 milhões, a maior arrecadação do futebol brasileiro. Desse dinheiro, o Peixe recebeu R$ 800 mil; a Federação Paulista de Futebol, R$ 200 mil; e o Flamengo, que tinha a maior torcida no estádio, não ganhou nada. E o GDF faturou… R$ 4 mil. Sim, R$ 4 mil! Vamos refletir juntos, porque a coisa é séria. O novo Mané Garrincha custou R$ 1,2 bilhão, e quando funciona só arrecada R$ 4 mil? Será que nós somos tão otários assim? Alguém ficou R$ 6 milhões mais rico no último domingo. E esse alguém é, de longa data, íntimo de Ricardo Teixeira, Sr. Wagner Abrahão.

Os governantes brasileiros, não importa a que partido pertença, nos cobram impostos gigantescos e em troca nos negam saúde, educação, etc. e nos submetem a um trânsito caótico e a um transporte público de última categoria. Constroem o estádio mais caro da Copa do Mundo de 2014 e depois entregam NOSSO estádio a um empresário por apenas R$ 4 mil? Por que não deu logo de graça? O Ministério Público tem que investigar esse acontecimento logo!

E no jogo de domingo, Neymar caiu aos prantos durante a execução do Hino Nacional Brasileiro na voz de Ellen Oléria. Mas porque a razão choro? Porque não suporta mais a Ellen Oléria? Porque o Brasil é a 7ª economia do mundo e a Espanha é a 15ª? Ou porque o Brasil não é capaz de ter clubes com a força do Barcelona?

Mas porque o Brasil não é capaz? Porque os nossos clubes até hoje não se deram conta que uma das coisas que distinguem o futebol de 1º mundo do nosso é o fato que eles têm ligas de clubes, aqui não. Aqui existe a CBF do Sr. Teixeira e Sr. Marin que só pensam em Copa do Mundo e na Seleção Brasileira, os clubes que se danem. E continuam se danando.

O esporte não é só entretenimento, é também formação de cultura de um povo. E criticar a Copa do Mundo não é deixar de ser brasileiro. Não exaltar a “pátria de chuteiras” não é deixar de ser brasileiro. Talvez em alguns momentos seja até mais…

Como ir ao Flamengo X Santos em Brasília?

IMG-20130519-WA0001
Foto: Renata Santana

Brasília não costuma receber grandes eventos esportivos. Mas esse Flamengo X Peixe no novo Mané Garrincha vai alterar todo o trânsito de uma enorme área central da cidade. Seguem várias informações do GDF sobre praticamente tudo que você pode querer saber sobre o jogo. Como chegar, como sair, que rua fecha, onde tem ônibus de graça, em qual lugar idosos têm preferência. Praticamente tudo que você pode querer saber! Útil para qualquer um que vier ao jogo! Estarei lá, na 403!

Rumo ao estádio

Confira as principais informações para ao jogo de abertura do Campeonato Brasileiro, domingo, entre Flamengo X Peixe, o último teste do Mané Garrincha, antes da Copa das Confederações:

1

Chegue cedo – Os portões do estádio serão abertos às 13h. Portanto, torcedor, chegue com antecedência e evite filas e transtornos e aproveite. Diferente do primeiro jogo, em que apenas duas rampas foram abertas, o de domingo terá todos os acessos liberados. Ao todo, serão 24 portões de entrada.

4

Quanto menos “bagagem”, melhor – Com o objetivo de dar mais agilidade à recepção dos torcedores, o número de catracas será ampliado para a partida deste domingo. Para garantir a segurança de todos, serão realizadas revistas, inclusive com aparelhos de scanner instalados nas entradas. Por isso, a dica é levar apenas objetos necessários e deixar bolsas e mochilas em casa. Quanto menos bagagem, menos tempo na vistoria e mais tempo de festa.

3

Alimentos – Não será permitida a entrada com bebidas ou comidas. As lanchonetes e bares do estádio estarão funcionando. Outra dica: Jogue o lixo (embalagens, descartáveis e recipientes vazios) nas lixeiras. Assim você estará ajudando a manter o estádio limpo.

Orientações ao torcedor:

– Só serão permitidas bandeiras e banners de pequeno porte (medindo 1,20m x 1m) sem mastro. O objetivo é não atrapalhar a visão dos espectadores e preservar a segurança de todos.

– Instrumentos que produzem barulho excessivo, como megafones, buzinas e vuvuzelas, não entrarão no estádio. Afinal, esse tipo de objeto pode atrapalhar os demais torcedores ou o andamento do jogo.

– Dispositivos de raio laser e de iluminação direta ou similares também são proibidos, já que podem prejudicar os jogadores em campo.

– Todas as escadas de acesso e saídas de emergência devem estar livres durante todo o evento.

– Não será permitido fumar em qualquer das áreas do estádio.

Trânsito

Assim como na final do Candangão, o trânsito de carros no raio de 3 km ao redor do estádio será bloqueado. A medida é uma exigência da FIFA, para proporcionar mais segurança aos pedestres e evitar congestionamentos nas proximidades durante os grandes eventos.

Sendo assim, dê preferência ao transporte público, às bicicletas ou aproveite o passeio a pé com amigos e familiares. Além de contribuir para um trânsito mais leve, o torcedor terá a oportunidade de apreciar pontos turísticos de Brasília ao longo do percurso.

7

Vias bloqueadas:

– A via N1 do Eixo Monumental estará parcialmente bloqueada e funcionará com mão dupla.

– A via S1 também estará parcialmente bloqueada. Portanto, evite o Eixo Monumental e as vias do entrono do estádio.

– A ciclofaixa do Eixo Monumental não estará funcionando, SOMENTE neste domingo, em função da operação especial de trânsito, que inclui o funcionamento de faixas exclusivas para o transporte público.

– O Eixão estará aberto aos veículos, SOMENTE neste domingo, de forma a melhorar a fluidez do trânsito no centro da cidade.

Estacionamentos – Para o torcedor que preferir usar o próprio veículo para se deslocar ao local do evento, permanecerão reservados os mesmos espaços do primeiro jogo. Serão sete áreas, em um total de 20 mil vagas, todas com efetivo policial permanente:

Serão as seguintes áreas, todas com efetivo policial permanente:

– Parque da Cidade

– Plataforma superior da Rodoviária do Plano Piloto

– Estacionamento subterrâneo da Feira Popular, ao lado da Rodoferroviária

– Setor Comercial Sul

– Setor Comercial Norte

– Setor de Rádio e TV Sul

– Setor de Rádio e TV Norte

Pessoas com necessidades especiais e idosos – O estacionamento número 12 do Parque da Cidade, que fica em frente ao Parque Ana Lídia, será aberto ao público, mas preferencialmente às pessoas com necessidades especiais e maiores de 60 anos. Durante o jogo, os usuários do parque terão seu direito garantido.

Para acessar os estacionamentos, prefira as seguintes rotas:

1) Plataforma superior da Rodoviária do Plano Piloto: Setor Comercial Norte (SCN), Setor Comercial Sul (SCS), Setores de Rádio e TV Sul (SRTVS) e Norte (SRTVN) – acesso pelos eixinhos W Norte ou Sul, ou ainda pelo Eixão (DF-002), que estará funcionando normalmente, EXCEPCIONALMENTE neste domingo, para o tráfego de veículos.

2) Parque da Cidade: Pistas da EPIG ou W5 Sul. Somente os acessos da DPE e das quadras 907 e 911 Sul estarão operando.

3) Rodoferroviária: Acesso pela EPIA (DF-003).

Outras áreas:

O estacionamento que fica abaixo do Palácio do Buriti, em frente ao Tribunal de Contas do DF, será reservado a veículos da área de segurança.

Quem quiser acessar o estádio pelo estacionamento do anexo do Palácio do Buriti poderá fazê-lo. Entretanto, a distância percorrida será maior: o percurso do Buriti até a entrada da arena é de 850 metros – 250 metros a mais do que o caminho feito a partir do Parque da Cidade, que, além da distância de 600 metros, conta com ônibus gratuito e policiamento no local.

Estacionamento fechados:

– TJDFT

– Centro de Convenções Ulysses Guimarães

– Torre de TV

– Funarte

– Colégio Militar

– Fórum Verde

– Autódromo (aberto apenas para veículos credenciados).

Transporte coletivo

6

Haverão cinco linhas especiais. Três serão operacionalizadas pela Sociedade de Transportes Coletivos de Brasília (TCB) e duas pela empresa São José, sendo que uma fará o reforço apenas após o final da partida.

Confira abaixo as linhas disponíveis:

TCB

0.113 – Aeroporto / Setor Hoteleiro Norte / Setor Hoteleiro Sul. Horário: a linha funcionará em seu horário normal, das 6h30 às 23h30, com aumento da frota, de 3 para 10 ônibus a partir das 15h de sexta-feira e do sábado, e a partir das 8h no domingo. Tarifa: R$ 8

108.6 – Circular: Rodoferroviária / Estádio Nacional / Rodoviária do Plano Piloto. No trajeto Rodoferroviária – Rodoviária a parada será na Torre de TV. Já no percurso Rodoviária – Rodoferroviária a parada será na Funarte. Esta será a única linha que poderá transitar no Eixo Monumental, por questão de segurança. Embarque e desembarque na plataforma D da rodoviária, que fica virada para a Torre de TV. Horário: das 12h às 20h, com até 30 carros conforme a demanda, a cada 5 minutos (se houver necessidade, outros veículos serão deslocados). Tarifa: R$ 1,50.

109.2 – Circular: Parque da Cidade – Levando o público que estacionará nesta área até um ponto próximo do Estádio Nacional. A partir deste ponto, bastará atravessar o Eixo Monumental e acessar o Estádio. A linha circulará em sentido horário – ou seja: os passageiros vão embarcar e desembarcar em frente aos estacionamentos. Horário: das 12h às 21h, com até 30 carros, conforme a demanda, a cada 3 minutos. Tarifa: Gratuita.

São José

Linha 109.7 – A linha fará, após a partida, trajeto saindo do estacionamento da Funarte rumo à Rodoviária do Plano Piloto. A partir das 18h, com 30 carros conforme a demanda. Tarifa: R$ 1,50.

0.104 – Setor de Hotéis e Turismo Norte / Rodoviária do Plano Piloto. Horário: das 12h às 21h, a cada 20 minutos. Tarifa: R$ 1,50.

Mudanças de itinerários:

As linhas com destino à Rodoviária do Plano Piloto via acesso Oeste do Eixo Monumental (antiga Rodoferroviária) serão desviadas para o acesso via Estrada Parque Indústria e Abastecimento (EPIA) sentido saída Sul, Viaduto do Setor de Indústria e Abastecimento (SIA), Setor Policial Sul e Eixão Sul até a Rodoviária do Plano Piloto.

As linhas com destino à W3 Norte via acesso Oeste do Eixo Monumental (antiga Rodoferroviária) serão desviadas para o acesso via EPIA sentido saída Norte, acesso W3 Norte via 116 Norte (ou seja, acesso pelo sentido oposto da W3 Norte).

As linhas com destino à W3 Sul via acesso pelo Setor de Indústrias Gráficas (SIG) serão desviadas para o acesso à W3 Sul pelo Setor Policial Sul e pela 516 Sul (ou seja: acesso pelo sentido oposto da W3 Sul).

Os passageiros com origem em Taguatinga e destino ao Setor de Indústrias Gráficas (SIG) deverão pegar a linha 0.573, que fará o retorno próximo Câmara Legislativa e não perto do Instituto Médico Legal (IML).

As linhas com destino à Rodoviária do Plano Piloto via acesso Leste do Eixo Monumental (pelo Congresso Nacional) serão desviadas para o acesso pela via de ligação (Procuradoria-Geral da União) entre a Avenida das Nações e o Setor de Autarquia/Setor Bancário (Asa Sul) até o Eixinho L, chegando à Rodoviária do Plano Piloto.

Táxis – O torcedor ainda pode escolher ir e voltar de táxi. O ponto de táxi mais próximo ao estádio será no estacionamento número 13, próximo ao Parque Ana Lídia. O espaço será de uso exclusivo deste serviço e de carros credenciados. A entrada será pela 901 Sul. Ao todo serão 1.000 táxis: 800 rotativos na área do estacionamento e 200 em contingência. Haverá reforço na fiscalização para detectar a presença dos carros e eventual aumento de demanda.

No aeroporto os táxis se revezarão em três turnos em todo o fim de semana, com reforço no domingo para chegada e saída de torcedores.

Metrô – Funcionará das 7h às 22h, em esquema especial, com 24 trens nos horários antes e depois do jogo. Haverá embarque em todas as estações durante todo o período. Tarifa: R$ 2.

Segurança

Área interna – Dentro do estádio atuarão 1,5 mil stewards (seguranças particulares). Eles serão responsáveis por orientar e controlar o público. Caso haja necessidade, o Centro de Comando Integrado acionará a Polícia Militar.

Área externa – Será monitorada pelos órgãos de segurança.

Polícia Militar – Serão 1.512 homens atuando na área externa e 620 dentro do estádio, para suporte quando necessário. O efetivo contará com 696 viaturas. A PM terá, ainda, cerca de 200 bases de apoio.

Bombeiros – O Corpo de Bombeiros irá atuar com 214 militares na prevenção, divididos em quartetos, distribuídos em todos os setores do estádio (Não haverá Bombeiros no campo, apenas na área reservada, próximo às ambulâncias).

A corporação contará com 32 viaturas no total – destaques para as de combate a incêndios (2), salvamentos, ambulâncias (4) moto resgate (6), resgate com cães (2), escadas magirus (2) e atendimento a produtos perigosos (2). As demais são de apoio – transporte de pessoal e logística.

Polícia Civil – Além do reforço no plantão da 5ª DP, uma unidade da delegacia será instalada no subsolo do estádio para registro das ocorrências. Ela funcionará a partir das 13h.

Detran – O efetivo será de cerca de 120 profissionais.

Coordenadoria das Cidades – Ao todo, 200 ambulantes foram licenciados para trabalhar próximo ao Parque da Cidade, nos estacionamentos dos setores hoteleiros e atrás da fonte luminosa da Torre de TV, sem acesso ao estádio.

SEOPS e Agefis vão fiscalizar a atuação de ambulantes ilegais e cambistas.

Iluminação pública

A CEB reforçou o abastecimento com duas fontes alimentadoras de subestações distintas, o centro de operações 24 horas e o efetivo de técnicos nas subestações do estádio, ao redor da arena e em locais estratégicos da cidade, como os setores hoteleiros e o aeroporto. A operação é semelhante à que atenderá a Copa das Confederações, em junho. Para isso, a Companhia repôs 4 mil metros de cabos danificados ou rompidos e instalou 46 luminárias de 400Watts, 100 refletores, 15 postes de iluminação e 500 metros de cabos.

Justiça

A Vara da Infância e da Juventude estará com equipes nas áreas interna e externa do estádio. Haverá um grupo de comissários de proteção e um posto de atendimento móvel (ônibus) do lado de fora, para realizar trabalho preventivo e de orientação ao torcedor, quando o assunto é criança e adolescente.

Saúde

A rede pública de saúde do DF contará com três hospitais próximos à Arena de prontidão para atendimento em situações de emergência: Hospital Regional da Asa Norte (HRAN), Hospital de Base e Hospital Materno Infantil de Brasília (HMIB).

O Hospital das Forçar Armadas (HFA) fará o atendimento de autoridades. Quem tiver plano de saúde poderá optar pelo Hospital Santa Helena, unidade particular de referência.

Parabéns, Curintias!

CURINTIAS

CURINTIAS

Parabéns para o Curintias pelo título do Campeonato Paulista, conquistado no último domingo, merece o título. O Peixe chegou à final aos trancos e barrancos, passando pelo Mogim Mirim nos pênaltis e passando pelo Porco nos pênaltis, o Curintias chegou nos dois jogos finais e foi pra lá de superior. A soma dos dois jogos finais poderia ter sido um 8 X 2 que ninguém acharia estranho. Mas o Curintias podia ter entrado domingo na Vila Belmiro em situação muito mais cômoda, porque o 1º tempo, principalmente, do primeiro jogo era pra ter lascado uma goleada e tanto e perdeu a chance, ficou no 2 X 1. Esse jogo 1 X 1 era pra ser uns 4 X 1 para o Curintias. O time do Peixe é digno de dó!

Eu não sei o que o Vice quer com esse André, ainda bem que ele não veio para o Flamengo. Aliás, é claro que eu sei… desespero!!! Porque o André é um dos piores jogadores que eu vi jogar em time grande. O André é um dos responsáveis pela má campanha do Peixe. O Peixe ficou em busca de um parceiro para o Neymar e não aconteceu, não foi o Mirales e não foi o André. E as duas piores contratações do futebol brasileiro em 2013 foram do Peixe, Marcos Assunção e Montillo. O Montillo custou caríssimo, mais uma vez, ainda bem que não veio para o Flamengo. E o Marcos Assunção custa também caro, ele não consegue andar em campo e o Montillo nem anda, porque não entra. Então o Peixe é um time que precisa ser reformulado, porque o Neymar joga sozinho e jogando sozinho não é mais o Neymar. Ele tenta buscar o jogo, dribla um, dribla dois, perde para o terceiro, volta para pegar a bola, dá contra-ataque para o time adversário e fica nervoso porque não tem com quem tabelar. Isso é o Peixe! Não sei como chegou à final do Campeonato Paulista.

O Tite e vários jogadores falaram que a festa, saudação, homenagem que a torcida fez depois da derrota para o Boca foi motivo de preleção para o jogo contra o Peixe, instigou os jogadores. Bacana! Mas provocou nesses uma reação que acabou em que? Em 1 X 1??? Eu não concordo com isso, senão o jogo seria uns 8 X 0. O que levou o Curintias a ganhar o título foi um time muito melhor que o Peixe, um elenco de jogadores muito melhor que o Peixe, um banco muito melhor, um time estruturado, habituado a decisões que vem do Brasileiro passado, Libertadores, Mundial e entrou em campo com uma vantagem conseguida antes dessa manifestação da torcida, quando perdeu do Boca. A vantagem de poder empatar e perder por 1 X 0 e ir para os pênaltis foi conseguida no jogo no Pacaembu.

Então eu acho que o Curintias foi campeão com merecimento, mas graças ao time muito melhor que ele tem em relação ao Peixe.

Mané Garrincha: impressões do primeiro teste

IMG-20130519-WA0001
Foto: Renata Santana

A expectativa era grande para saber o que iria acontecer no primeiro evento teste do Mané Garrincha. Esquema de trânsito iria ser testado; acesso dos torcedores; comportamento do público; presença das autoridades; iluminação; etc. Era hora do Portal dos Calangos testar também.

Os brasilienses estão acostumados a ir ao cinema, teatro e shows sempre de carro. Caminhar por mais de dez minutos requer músculos de calango, e isso os brasilienses não estão acostumado a usar. O Mané Garrincha está quase pronto. Do lado de fora ainda existem tapumes fechando alguns acessos e máquinas, mas falta pouca coisa no entorno para ser finalizado. Mas vamos falar de como estão as coisas dentro do estádio.

Mais um defeito de brasiliense, chegar em cima da hora em qualquer evento. O estádio foi enchendo no meio do primeiro tempo. Mas o evento teste, com o jogo entre Brasiliense X Brasília, mostrou que o estádio pode ser usado para um grande jogo e com uso da capacidade total.

Era óbvio que o Mané Garrincha se tratava de outro estádio, mas no primeiro momento que entramos a sensação era de êxtase. Tudo diferente do que eu já vi de estádio, sem dúvida, lindo! Domingo que vem, na hora que a torcida rubro-negra encher as arquibancadas a sensação deve passar.

Voluntários da FIFA e funcionários do governo do Distrito Federal procuravam o tempo todo orientar os torcedores que buscavam seus lugares. Muita gente respeitou a numeração das cadeiras, mas houve exceções. Eu aprovo também a acessibilidade dentro do estádio que contava com rampas e espaços reservados para cadeirantes e acompanhantes.

Os telões realmente são poderosos. Na apresentação dos jogadores em campo o telão mostrava, nitidamente, o nome do jogador e o seu número. Nenhuma dificuldade de leitura. São imensos. Estávamos praticamente embaixo de um deles e dava para ter a sensação do tamanho. A iluminação também excelente, 446 refletores. O som muito potente também, a distribuição do som é muito boa e a acústica maravilhosa!

Parecia simples saber onde o sol bateria, afinal as laterais da arquibancada foram batizadas de “nascente” e “poente”. Tolice! O lado “nascente” recebe os raios diretos no fim da tarde, vai entender… Se você não é adepto do boné, eu aconselho a usar um.

A internet oscilou demais! Em vários momentos tentei fazer check-in no Foursquare ou tuitar, mas larguei de mão. A Renatinha em outras vezes tentou publicar fotos no Instagram e a foto não ia de jeito nenhum. A conexão 3G da Vivo praticamente não funcionou. Falhou muito, mas muito mesmo. Eu e Renatinha só víamos a bateria indo embora e nada. Ou seja, longe do que se necessita, falando em qualquer campeonato, não só em Copa do Mundo e Confederações.

Espaço entre as cadeiras sem problemas. Dá para andar entre elas, mas com cuidado, porque são retráteis. Eu tenho 1,82m de altura e minhas pernas couberam bem, mas aconteceu comigo de uma vez meter o joelho no assento da frente, mas sem reclamações, assentos excelentes! Os corredores do Mané Garrincha também são muito bons.

A bebida alcoólica também fez sua estreia oficial, os bares funcionaram bem. Para acompanhar as bebidas, pipoca e salgadinhos industrializados. Água (R$ 3), refrigerante (R$ 4), cerveja (R$ 5), pipoca (R$ 5) e salgadinhos industrializados (R$ 6). Ninguém passou sede ou fome, mas o estádio merece petiscos melhores.

Eu não utilizei os banheiros, a Renatinha utilizou e elogiou, dizendo está limpo e com papel higiênico. Mas eu ouvi reclamações de banheiros apresentarem falhas no acabamento e alagados.

Com o jogo morno, os torcedores resolveram se ocupar e tentaram puxar uma “ola”. Algo impossível no antigo Mané, que só tinha 1/4 de arquibancada. Começou devagar, até acertarem o ritmo. Quando engrenou virou diversão. Mas durou pouco:

Ao final da partida, Brasiliense campeão do Candangão 2013! Geralmente sempre quando um time é campeão, se o comemora o título ao som de We are the champions, da banda Queen. Mas em Brasília é diferente! A festa restrita, no centro do gramado, começou com o antigo hit Conga Conga Conga, da cantora Gretchen:

Essas são algumas das primeiras observações, críticas e sinalização de problemas deste evento teste. O objetivo não é esse? Mas o maior problema não aconteceu dentro do estádio e sim do lado de fora. O acesso ao Mané Garrincha virou uma dor de cabeça. A interdição de faixas do Eixo Monumental e de outras vias próximas ao estádio provocou tráfego intenso e dificuldade de estacionamento. Se a indicação é estacionar no Setor de Rádio e TV, Plataforma Superior da Rodoviária, Parque da Cidade ou Setor Comercial, é preciso melhorar a iluminação e colocar policiais nestes estacionamentos ao término dos eventos para a maior segurança do público.

Domingo que vem tem mais.

A seguir fotos, com alguns momentos, feitas pela Renatinha:

Foto: Renata Santana

 

Visão da primeira fileira de assentos do estádio Mané Garrincha. (Foto: Renata Santana)

 

Aquecimento dos jogadores. (Foto: Renata Santana)

 

Foto: Renata Santana

 

Pronunciamento do presidente da FIFA, Joseph Blatter. (Foto: Renata Santana)

 

Foto: Renata Santana

 

Foto: Renata Santana

 

Foto: Renata Santana

 

Elza Soares, viúva de Mané Garrincha, cantando o Hino Nacional Brasileiro. (Foto: Renata Santana)

 

Foto: Renata Santana

 

Foto: Renata Santana

 

Foto: Renata Santana

 

Foto: Renata Santana

 

Foto: Renata Santana

 

Momento da “ola”. (Foto: Renata Santana)

 

Foto: Renata Santana

 

Foto: Renata Santana

 

Foto: Renata Santana

 

Foto: Renata Santana

 

Foto: Renata Santana

 

A Polícia Militar e a segurança com medo da Torcida Febre Amarela invadir o campo, cercou os torcedores. (Foto: Renata Santana)

 

A Polícia Militar e a segurança com medo da Torcida Febre Amarela invadir o campo, cercou os torcedores. (Foto: Renata Santana)

 

Foto: Renata Santana

 

Brasiliense, campeão do Candangão 2013. (Foto: Renata Santana)

 

Brasiliense, campeão do Candangão 2013. (Foto: Renata Santana)

 

Brasiliense, campeão do Candangão 2013. (Foto: Renata Santana)
Pular para a barra de ferramentas