Casos de amor

500

500

Vou falar de amor, mas com resultados completamente diferentes. Primeiro é o caso de amor de Minas Gerais com o Mineirão, por mais que tenha tido todos os problemas. O estado de Minas Gerais ficou feliz com o estádio, embora seja de uma falta de habilidade assustadora e tenebrosa. Os mineiros passaram tanto tempo esperando o Mineirão, encheram o estádio, que teve 93% da sua capacidade ocupada, e não conseguiu falar que o estádio estava bonito no dia seguinte porque teve coisa mais grave. O Mineirão não é bonito nem na questão estética, o reformaram para a Copa do Mundo, mas não tem cara de estádio de Copa do Mundo com aquele concreto armado do século passado, em outra oportunidade comento melhor sobre isso. Mas de qualquer maneira, é um caso de amor do mineiro com o Mineirão que infelizmente, mas acho que o Patético Mineiro está certo, não vai ser completo porque o Patético Mineiro não vai mandar seus jogos no Mineirão.

Tem o caso de amor da torcida do Peixe com o Ganso que virou ódio. O Bambi tem pressa em provar que o Ganso pode ser titular, e por isso que ele joga, embora fora de posição. Tem também o caso de amor que colocou 90% do estádio do Pacaembu lotado, que só isso explica essa lua de mel porque o Curintias foi campeão mundial dois meses atrás. Só isso que explica Curintias e Oeste lotar um estádio.

E por último o caso de amor de um jogador pelo futebol, e o destaque vai para o Seedorf que é um exemplo de homem, atleta e não só porque fez três gols, mas pelas declarações dele, ele se emocionar, dedicar a vitória e os gols para a avó, melhor contratação feita nos últimos tempos de um estrangeiro para o futebol brasileiro. Eu me sinto feliz de saber que tem um Seedorf jogando aqui no Brasil, dá gosto de o ver jogando, ver falando, ver se posicionando. Ele não merece aquele lastimável e ridículo campo de Macaé e pior, ele não merece o time que ele joga. Vou confessar, eu tenho inveja de não ter o Seedorf no meu time.

Nike apresenta nova camisa da Seleção Brasileira

camisa_brasil_04

camisa_brasil_01

Copacabana, Neymar e uma das camisas mais esperadas do ano. Isso não bastaria para resumir o evento de lançamento da nova camisa da Seleção Brasileira que foi realizado hoje pela manhã. Seguindo uma linha mais clássica e com mudança na gola, a nova camisa da canarinha reflete, segundo a fabricante, a paixão que ela leva para todo o país e que representa a bandeira de uma nação.

camisa_brasil_02

camisa_brasil_03

camisa_brasil_04

FIFA divulga pôster oficial da Copa de 2014

2014fwc_op_reg_4c_s.indd

A FIFA lançou ontem, no Rio de Janeiro, o pôster oficial da Copa do Mundo de 2014. A imagem é inspirada no mapa do Brasil, com o entorno do desenho repleto de peculiaridades de cada região do país, como o calçadão de Copacabana, o frevo, baianas, chimarrão, bola de futebol e até havaianas. Não consegui identificar nenhum elemento que represente Brasília.

O pôster foi criado pela agência brasileira Crama e a escolha foi feita por uma comissão julgadora formada pelo secretário-geral da FIFA, Jérôme Valcke, pela ministra da Cultura, Marta Suplicy, pelo presidente do COL, José Maria Marin, pelo artista plástico Romero Britto, e por Ronaldo e Bebeto, integrantes do conselho do COL.

A apresentação do pôster estava prevista inicialmente para ser em Brasília na última segunda-feira, data que marcou os 500 dias para o início da Copa do Mundo. Porém, o adiamento do evento ocorreu por conta da tragédia que ocorreu em Santa Maria, no Rio Grande do Sul.

Mas a pergunta que não quer calar, o Acre realmente não existe?

2014fwc_op_reg_4c_s.indd

Como será o período pós-Copa do Mundo?

estadios-pos-copa2014

estadios-pos-copa2014Por causa da tragédia em Santa Maria, no Rio Grande do Sul, o Governo Federal, a FIFA e o Comitê Organizador Local (COL) decidiram cancelar as festividades dos 500 dias para a Copa do Mundo de 2014 ontem, em Brasília. Somente a visita ao estádio da capital do Brasil e a coletiva de imprensa aconteceram. O lançamento do pôster oficial da Copa do Mundo de 2014, então, foi transferido para o Rio de Janeiro, na próxima quarta-feira, também com a presença da FIFA.

Mas o que importa é que faltam 529 dias para a refundação do futebol brasileiro, que é quando termina a Copa do Mundo. A preocupação é com o pós-Copa. Uma coisa é a Copa e a Seleção Brasileira. A outra é o legado esportivo, que é muito importante e ele está aí com obras. São 12 estádios, 12 cidades. Nós temos ações independentes como a Arena Grêmio, que está pronta, a Arena Palmeiras, uma reforma que está em curso no Morumbi e mais 12 estádios de Mundial, além do estádio Independência, que também está pronta, e tem que ser colocado nessa lista. Então daqui aproximadamente um ano e meio teremos 16 estádios completamente diferentes do cenário do futebol brasileiro.

O futebol brasileiro se acostumou em tratar mal o torcedor e o torcedor a ser maltratado, e por isso a ida aos estádios se tornou uma aventura desagradável. Os estádios de futebol terão que concorrer com outras atrações e ser um lugar bacana para ir sempre, com diversão, com oferta de bons serviços, com bons jogos, etc. E essa é a preocupação, em ter jogos nesses estádios, jogos com futebol de verdade.

Algumas cidades tem esse ativo importante, como por exemplo, a rivalidade entre Paysandu e Remo no Pará, que ela é sensacional, como em Pernambuco, especialmente na cidade de Recife, com Náutico, Santa Cruz e Sport, como no Goiás e nesses lugares se tem futebol de verdade. Essas cidades precisam de um pouco de cuidado, porque tem uma chama da paixão do futebol que pode lotar estádios. Embora Belém e Goiânia não tenham sido escolhidas como cidades-sede da Copa do Mundo, mas tem o Mangeuirão e o Serra Dourada que são belos estádios. Então estão aí mais dois estádios que podem entrar para essa lista.

Começa a mudar de cenário o futebol brasileiro, é preciso preocupação com isso. Com a Copa do Mundo e com o pós-Copa. E também podemos falar do pós-Olimpíadas, que é importante como o Brasil irá utilizar os equipamentos, como irá desenvolver os esportes. Até a Copa do Mundo e até a final dos Jogos Olímpicos o Brasil vai viver certa euforia, e o país não pode criar um abismo no dia seguinte. E depois que a FIFA for embora, o torcedor voltará a ser maltratado?

Então, é um alerta para todos nós que participamos da indústria do esporte e no caso particular da indústria do futebol, que é vigorosa. A indústria do futebol pode aumentar sua qualidade no Brasil com pequenas, boas e inteligentes ações em que todos possam sair felizes, com um calendário melhor, com um tratamento melhor, campeonatos melhores, etc. O Brasil pode potencializar esse momento que é muito bom para o país. Tomara que o Brasil consiga trabalhar isso, porque senão será uma decepção no pós-Copa e no pós-Olimpíadas e sinceramente não gostaria de ver isso.

A ideia é pintar o mundo de vermelho e preto

429051_486943038015221_724727143_n

429051_486943038015221_724727143_n

O lançamento do movimento “Zico 60 anos, um mundo rubro-negro” não poderia ter começado melhor. O Tijuca Tênis Clube recebeu muitos convidados para o pontapé inicial do projeto que pretende ter seu ápice no dia 3 de março, quando o eterno camisa 10 da Gávea completa 60 anos. O projeto saiu do papel e agora promete colorir o país e o mundo de vermelho e preto. Lembrando que a intenção dos organizadores do movimento é pintar as ruas com as cores do Flamengo, com camisas e bandeiras, numa homenagem ao maior ídolo da torcida rubro-negra.

O evento, que ocorreu na última terça-feira contou com diversas personalidades rubro-negras. Entre os mais conhecidos estavam Sandra de Sá, Diogo Nogueira, Neguinho da Beija-Flor, Nunes, DJ Malrboro, Nalbert, Radamés Lattari, entre outros. Mas, sem dúvida alguma, o que acabou chamando muito atenção foi a inesperada presença do técnico de vôlei Bernardinho. Botafoguense assumido, Bernardinho fez questão de subir ao palco para dizer algumas palavras em homenagem a Zico. Atitude fantástica e que apenas comprova a admiração que as pessoas sentem pelo Galinho, rubro-negras ou não.

O movimento Zico 60 anos é mais que uma simples ideia de um grupo de rubro-negros. Zico merece, e muito! Afinal de contas, Zico e Flamengo se confundem. Um está intimamente ligado ao outro. E, na minha opinião, todo torcedor rubro-negro deveria aderir à campanha, tudo indica que será marcante e entrará para a história.

Se você ainda não está familiarizado com o projeto, vale a pena seguir as mídias do movimento. Você pode se informar através do site oficial (www.zico60anos.com.br), no Twitter (www.twitter.com/@zico60anos) ou no Facebook (www.facebook.com/zico60anos).  Se você torce para o Flamengo e tem Zico como ídolo, não deixe de participar desta festa. A Nação vai pintar o mundo de vermelho e preto. Vai ficar fora dessa?

Flamengo e o seu novo marketing

flapatrocinio

flapatrocinio

O Flamengo tem um novo Diretor de Marketing, Fred Luz. Sim, João Henrique Areias saiu do departamento de Marketing. Luz foi diretor por muitos anos das Lojas Americanas, é sócio e membro do Conselho de Administração da Inbrands (dona das marcas Ellus, Richards, Salinas e VR) e membro do Conselho de Administração da Leader Magazine, além de ter sido consultor de empresas como Sendas, Mesbla e Redley. É, portanto, um cara com alguma experiência em empresas de varejo, o que pode contribuir para dar uma visão diferente ao departamento no clube. Ele e o já famoso Bap, atual Vice-Presidente de Marketing, trabalharam juntos antes e isso, junto com sua participação na campanha que elegeu a atual diretoria, deve ter tido sua importância para que esteja agora ocupando esta função no Flamengo.

Sobre o contrato com a Peugeot, é interessante saber que o clube trabalhará para criar mais valor para as parcerias que fechar dando às empresas não somente a simples exposição da marca no uniforme, mas também ativação junto aos torcedores através dos canais que o clube está construindo com eles, desde os já existentes, como os perfis nas redes sociais, até os que ainda serão construídos, com o lançamento de um novo programa de relacionamento. Se forem bem sucedidos em colocar em prática o que estão discutindo, o Flamengo poderá mudar um tanto a visão que o mercado tem do que significa patrocinar o clube e estará em condições, no futuro, de fechar mais e melhores contratos.

É impossível avaliar um contrato como este sem falar em quanto será pago ao clube. Trata-se de um valor que cresce a cada ano do acordo, mas que fica em média próximo dos R$ 9 milhões anuais, sem contar possíveis bônus por conquistas. Foi aprovado por unanimidade. Não é costume no Brasil vender o espaço das costas, que foi entregue agora à Peugeot, separadamente do peito; os dois juntos formam o tão falado “patrocínio máster” em quase todas as equipes por aí. Então, como dizer quanto valeriam separadamente, por exemplo, as costas e o peito do uniforme do Curintias?

Saberemos de verdade se o Marketing do Flamengo foi bem sucedido em seu trabalho de buscar patrocinadores para o clube quando tivermos a soma das três cotas que pretendem vender, ocupando peito, costas e mangas. Para terem feito um indiscutível grande negócio, o total deve ser semelhante aos R$ 42 milhões que o Curintias arrecada com os mesmos espaços; para chegarem a um nível razoável, não pode ficar abaixo dos R$ 30 milhões dos Bambis. Mas também deve ser levado em consideração na avaliação o momento do Curintias e a natureza de seu patrocinador, que contribuíram para um valor muito alto; e ainda que os dois clubes paulistas passaram quase um ano inteiro sem marca nos seus espaços principais até conseguirem fechar com seus patrocinadores atuais. Além disso, mostrar que não é fácil chegar a este patamar, também há um custo por ficar sem receber por tanto tempo que precisa ser colocado na conta.

Se o Curintias tivesse, por exemplo, fechado no início de 2012 um contrato de R$ 23 milhões anuais por três anos, ganharia até o final de 2014 bem mais que os R$ 60 milhões do acordo que fechou com a Caixa até a mesma data. Ainda mais em um momento de pouca grana disponível, é o tipo da coisa em que devem pensar os dirigentes rubro-negros ao considerarem se vale a pena ou não esperar mais um pouco por proposta melhor.

A chance de Kaká

kakaneymar

kakaneymarNesta terça-feira, o técnico Felipão fará a primeira convocação desde que voltou ao comando da seleção brasileira e o nome que pode aparecer nesta lista é o do Kaká, o Kaká que tá muito perto de voltar ao Milan. Ontem a La Gazetta dello Sport fez um artigo interessante sobre o que representa a volta do Kaká para o Milan do ponto de vista do Kaká e do ponto de vista do Milan.

O relançamento do Kaká pode ser a Seleção Brasileira, que quase certamente nessa terça-feira vai “envelhecer”, ou seja, o Felipão vai tentar juntar talentos que a gente tem visto muito jovens, ainda um pouco imaturos (Neymar) com outros que a gente discute se já passaram do ponto (Kaká e Ronaldinho Gaúcho) que pode tentar mostrar que não, ainda não passaram do ponto.

Uma camisa conquistando o universo?

spfc-185x130

SPFC

Quem está patrocinando agora os Bambis é a Penalty, e a empresa realizou a primeira iniciativa para promover o lançamento da nova camisa. A ação enviou o uniforme para o espaço, para assim dizer que Bambi também voa que o time conquistou também o universo.

No vídeo, a marca mostra como foi a jornada da camisa até o espaço:

A criação é da agência Z+ e Lattitud.

Diminuindo os gastos para recuperar a dignidade

vagnerlove1_glo_domingospeixoto

Tem um monte de gente reclamando que o Vagner Love foi embora. O Love não jogou nada no Campeonato Brasileiro, cansou de perder gols e prender a bola tentando resolver sozinho. Foi uma surpresa agradável a saída do Vagner Love. Uma saída repentina, mas que já é reflexo do legado maldito da administração Patrícia Amorim. O Love não é um atacante ruim, mas ele tá longe de ser um ídolo do Flamengo. E com certeza ele não vale os quase R$ 1 milhão por mês pelo que demonstrou em campo. Gastar sem ter dinheiro acontece o que aconteceu nos últimos anos, atrasos de salários, penhoras e processos.

vagnerlove1_glo_domingospeixoto

Está aí o Ronaldinho para não negar! Demoraram a assinar o contrato com a parceira que pagaria os salários. Quando a parceira viu que a imagem do Ronaldinho não valia tanto assim, e não iam conseguir recuperar o investimento, pararam de pagar. Sobraram duas opções para a Patrícia Amorim, avisar ao Ronaldinho que não tinha como pagar o salário e dizer pra ele encontrar outro clube, ou dizer que ia bancar um salário de R$ 1,2 milhões por mês, mesmo sem esse dinheiro. Ele optou pela segunda opção. Hoje o Ronaldinho joga no Patético Mineiro e processa o Flamengo em R$ 40 milhões.

O atual presidente deu uma entrevista que o principal agora é recuperar a dignidade. E eu concordo. O primeiro passo é gastar menos do que arrecada. Isso é óbvio nas finanças de qualquer pessoa e também serve para o Flamengo. E é isso que estão fazendo. Temos que reconhecer que essa nova administração está tentando limpar o entulho e fazer do Flamengo um clube mais administrável para que a médio/longo prazo contrate reforços para que o Flamengo tenha um poder de investimento alto e possa chegar ao ponto superior à maioria dos clubes do futebol brasileiro. Agora não! Agora o importante é não fazer loucuras. O Flamengo tem valores penhorados em quase R$ 30 milhões, é uma situação muito difícil.

O Flamengo tem um time que dá para o gasto para o Campeonato Carioca, esse elenco atual não dá para sonhar muito em qualquer coisa a nível nacional, mas pode-se imaginar que a partir da Copa do Brasil e do Brasileiro possa ter alguns reforços e ser melhorado. Mesmo apertando os cintos, contrataram Elias, Gabriel e João Paulo. Um jogador muito bom, uma boa promessa que foi bem ano passado e um lateral esquerdo. Contratações pontuais e acertadas. Mesmo que a posição menos carente no time seja a de volante, o Elias é um ótimo nome, foi negócio de oportunidade. O Gabriel é aquele meia-atacante de lado de campo. O Dorival adora jogador assim e colocava o Adryan pra fazer isso e não funcionou. O lateral esquerdo teve uma boa média nas notas do Brasileirão do ano passado, sinceramente não me lembro dele. Mesmo assim, acho impossível alguém ser pior que o Ramon.

O Flamengo precisava mudar a cabeça e colocar os pés no chão. O ano de 2013 não vai ser fácil, mas vai ajudar o Flamengo a ter um futuro muito mais estável e vitorioso.

Saudações Rubro-Negras!

Calendário do futebol brasileiro e seus Estaduais inchados

calendário

calendário

Como é a primeira coluna de Esportes do ano, é valido discutir o calendário do futebol brasileiro. No próximo dia 19 começam os campeonatos de São Paulo e Rio de Janeiro, na sequência os outros estaduais também começarão. Nesse primeiro semestre temos também no Nordeste a Copa do Nordeste acontecendo ao mesmo tempo em que os campeonatos estaduais, além disso, o Campeonato Brasileiro começa no dia 26 de maio, Copa das Confederações que envolverá a Seleção Brasileira com jogadores que estarão atuando pelo Campeonato Brasileiro de 15 de junho a 30 de junho, Libertadores da América de 23 de janeiro a 24 de julho, Copa Sul-americana começa em agosto e vai até dezembro.

Mais uma vez a gente entra em um ano onde o futebol brasileiro será o mais prejudicado com a desorganização que é o nosso calendário. Enquanto as Federações e a CBF não perceberem que os Estaduais extremamente inchados são prejudiciais ao futebol brasileiro, o nosso calendário sempre será ruim, como é hoje em dia. Melhorou bastante nos últimos meses, mas ainda tem muito que melhorar. O primeiro passo para isso é entender melhor o que é o Estadual na realidade do futebol nacional hoje.

Pular para a barra de ferramentas