Como Consumimos o Entretenimento?

post-balburdia-pop-entretenimento

post-balburdia-pop-entretenimento

Faaaala Calangada!

Já parou para pensar como apreciamos uma obra de entretenimento? Pode ser um quadrinho, um filme, um game, um livro, uma música e etc… O que faz diferença para você em uma obra? Será que é o modo de contar a história? Os personagens da trama? A ação? As cores? Os instrumentos envolvidos? Entre estes, temos vários aspectos para julgar.

Porque estou falando disto? Neste fim de semana assisti um filme com a minha esposa. Drive. Este filme é baseado no livro de mesmo nome que conta a história de um “driver”. O que ele faz? Dirige (I Drive). O nome do personagem não é citado em nenhuma parte da obra, ou seja, ai já temos um diferencial. Nos créditos ele é conhecido apenas como “Driver”.

Qual é a deste filme? Um Velozes e Furiosos? Não. Ele é um filme mais cerebral, quase um Tarantino sem ação. Os personagens se comunicam entre si mais como um olhar, um gesto. A história é contada com a câmera, com a iluminação, com a fotografia do filme em si (O que é um show a parte.) e com a atuação dos atores. O filme não tem muita explicação. É parado em alguns momentos, alternando para brutal e algumas vezes emocionante. Quando a ação começa, você toma um susto, nem vê de onde vêm o tiro. Um filme mais real, que vale a pena ser visto, nem que seja para você poder falar que não gostou. A minha esposa, por exemplo, não gostou. Normal.

O filme me fez refletir que devemos aproveitar mais as experiências que o entretenimento tem a nos passar. As vezes temos que ver um filme várias vezes para podermos captar todas as nuances que o criador da obra pensou, toda a intensidade de um personagem, toda a lição que aquilo pode trazer para você. Sabe quando você acaba uma obra, e de repente, volta para o mundo? E acha até estranho? Se isto acontece muito com você, significa que tem escolhido obras de seu interesse, que te dão um grande poder de imersão. Tenho visto quais obras me fazem sentir isto, e se encontro, procuro mais daquilo.

Baseado em tudo que eu falei, temos a mania de criticar obras que não gostamos. (O Eduardo Santos sempre me ouve falando mal de pagode, mas é apenas para zoar ele. Vou respeitar mais esta “obra” Hahahaha). Falei de Velozes e Furiosos, uma franquia enorme. O filme que mais gosto de todos os 5 (Já vai sair o 6 e há contrato para o 7), é o mais criticado. Tokyo Drift, o terceiro filme. Porque? Simplesmente porque me divirto mais com ele. Acho que o personagem tem uma crescente fantástica, saindo de um moleque para um homem no topo da montanha. Os carros são mais maneiros, as manobras mais fantásticas e etc. Isto é entretenimento. Ele pode ser mais raso, como Tokyo Drift e ele pode ser mais completo e cerebral como Drive. O que importa é o que te faz bem, o que te faz feliz, o que te empolga e diverte.

Então, para finalizar, independente da obra que esteja no mercado, procure conhece-lá melhor para critica-lá. As vezes, por apenas ouvir a maioria das opiniões, pode estar perdendo uma experiência de entretenimento muito boa, que poderia trazer horas de diversão para você. A indicação deste post é: Vejam Drive, e se não viram Tokyo Drift, vejam também. Se viu os dois, vejam de novo e preste atenção nas pequenas nuances do filme. Isto pode transformar o modo de como você consome entretenimento.

Antes de ir, uma menção especial de Drive. Que trilha Sonora!!! Duas músicas que estou ouvindo em looping!

College feat. Electric Youth – A Real Hero

 

Kavinsky & Lovefoxxx – Nightfall 

 

Sessão da Tarde – Sem Licença para Dirigir

sem-licenca-para-dirigir-calangos.net

“Viver com medo, é como não viver…”

sem-licenca-para-dirigir-calangos.netFaaaaala Calangada! Já falei aqui do meu amor pela antiga Sessão da Tarde. Grande parte do meu gosto cinematográfico veio de lá. Me lembro que foi lá que vi e vivi grandes aventuras, vi casais descobrir o amor (MEU DEUS, ACHO QUE LAGO AZUL PASSAVA UMA VEZ POR SEMANA!!!) e principalmente, ri, mas ri muito com as comédias. Geralmente eram comédias mais adolescentes, de jovens tentando seu lugar ao sol. O que nos inspirava frequentemente. Já falei anteriormente, na abertura desta coluna, do meu ídolo máximo do cinema, Ferris Bueller (Bueller? Bueller? Bueller?…) Após estes, a Sessão da Tarde me trouxe grandes personagens que me ensinaram grandes sacadas, me ensinaram um ponto de vista, me ensinaram a… dirigir? Sim! Afinal, o que você mais queria quando era adolescente? Ter um carro, colocar os amigos dentro e, claro, pegar umas gatas! Sem Licença para Dirigir (License To Drive) é um daqueles filmes que não envelhecem. Posso falar isto porque vi ele na semana passada, e acabei rindo do mesmo jeito.

O plot da fita? Simples! Les Anderson(Corey Haim – Garotos Perdidos) sonha em a sua carteira de motorista. Com ela, ele vai poder chamar para sair a garota de seus sonhos: Mercedes Lens (Heather Graham – Austin Powers) Ele já está prestes a tirar sua carteira, neste meio tempo, em uma festa que vai com melhor amigo, Dean (Corey Feldman – Goonies) e seu amigo Charlie, ele marca um encontro com Mercedes, antes mesmo de tirar a sua carteira. No dia seguinte, bomba na prova teorica de trânsito, porém, por um problema no sistema, Pode fazer a prova prática. Ao passar no exame prático (Prova aplicada pelo Tio Phil de Maluco no Pedaço) o Departamento de Trânsito (O DETRAN é igual em qualquer lugar do mundo) descobre no sistema que ele não passou na prova. Com isso Les perde a tão sonhada carteira de motorista. O que fazer agora? Sem carteira e com um encontro marcado com a garota dos seus sonhos? O que você faria?

Les, rouba na calada da noite o precioso Cadillac de seu avô, deixado sob a guarda de seu pai, para ir no grande encontro com Mercedes. Mas a noite é cheia de contratempos, se transformando em um grande teste de direção para Les. O precioso Cadillac que não poderia ter nenhum arranhão, volta em pedaços para casa. Les ganha a garota, perde o carro e segundo seu pai, furioso com o que ele fez, perde também um poupança para a faculdade, uma tv, um skate, uma cama e até mesmo uma janela da qual ele poderia ver o sol (Se meu filho aprontar alguma dessas no futuro, o esporro vai ser este, já está guardado) Neste momento, sua mãe começa a dar a luz, e Les acaba tendo que leva-lá as pressas para o hospital. O interessante que no meio do caminho, apenas a marcha ré funciona.

Sem Licença para Dirigir é um grande clássico dos Anos 80 e pode ser revisitado sem problemas. Alguns filmes perdem um pouco do brilho quando vemos mais velhos, o que não é o caso de Sem Licença para Dirigir. Ao rever o filme, eu ainda torcia pelo sucesso de Les, ainda gritava com ele a cada amassado no Cadillac e ainda ria com cada piada bem colocada no filme. A cena que o seu pai vê o carro destroçado ainda é hilária. Quando vê o filho escondido dentro do carro destroçado, temos o diálogo mais hilário do filme:

– Rapaz, Algum problema com a sua cama? Pode me explicar o tamanho do Tubarão que fez este estrago? Você sabe o que isto significa para a sua vida e a sua existência neste planeta?

– Sim pai

– NÃO VOCÊ NÃO SABE, VOCÊ NÃO PODE NEM IMAGINAR!

É o esporro do século! A minha dica para este final de semana, quando estiver em casa, “alugue” ou “peça emprestado a um amigo na internet” Sem Licença para Dirigir e reveja esta grande comédia! Se você nunca viu, melhor ainda, veja e ria muito!

Grande abraço para todos e… Dirijam com segurança!

Livros – De A-Ha a U2 – Zeca Camargo

a-ha

 

a-ha

Faaaaala Calangada!

Estava pensando que tipo de dica dar para vocês de livro. Porém, nesta semana, eu ouvi muita música dos anos 80/90. Mas dar dicas de músicas e livro? Foi então que eu me lembrei de um livro que minha esposa (na época era minha namorada ainda) me deu de presente. Ela tinha ganhado o livro em uma promoção de um site de Santos, e o livro veio até autografado pelo autor, Zeca Camargo.

O que temos em mente nos dias de hoje é que Zeca Camargo é apenas o âncora do Fantástico. Quando dá faz uma entrevista aqui e ali e só. Também tinha esta imagem dele até ler o seu livro. De A-ha a U2 da Editora Globo mostra muito mais. Mostra um Zeca Camargo altamente musical, demonstrando um grande conhecimento de música. Mostra os desafios de um repórter ao entrevistar astros e estrelas da música nacional e internacional. O nome do livro, se refere ao sumário do mesmo. Realmente temos o primeiro capítulo dedicado ao A-ha (Minha mãe nos anos 80 fazia aula de aeróbica ao som de You Are The One), seguindo para Alanis Morisette, passando por Guns n’ Roses, Nirvana, Renato Russo… Cazuza. E no capítulo deste último, ele conta como o cantor o testou para ter a confiança de falar, em entrevista, que tinha contraído o vírus da AIDS.

O autor conta os detalhes de grandes reportagens com estrelas da música mundial, mostrando os bastidores do show business. E nessa ínterim, Zeca Camargo demonstra um lado de verdadeira paixão por música, basicamente Pop e Rock.

No decorrer do livro, ele conta entre os capítulos, algumas passagens de discos que descobriu e comprou em várias partes do mundo, mostrando várias descobertas felizes que se estendem ao leitor. Afinal, atualmente você não necessita mais ficar na frente de um deck, com o dedo no record, com a fita preparada e esperando aquela música tocar na rádio. Você pode simplesmente procurar na internet para ouvir. Vale a pena correr atrás das dicas que o autor dá. Me lembro que tive várias descobertas de muita música boa, que poderia passar a vida toda sem ouvir.

Em outras partes do livro, Zeca Camargo passa vários Top Fives. Do tipo “Cinco músicas que não dá para acreditar que foram gravadas” ou “Cinco músicas para encher a pista de dança” e etc. Nessas dicas, vários pequenos tesouros que podem te trazer bons momentos de entretenimento musical.

O capítulo de sua entrevista com Nirvana e basicamente Kurt Cobain, mostra o que passa um repórter, quando os caprichos de uma estrela se sobressaem. Kurt simplesmente deixa a equipe de Zeca esperando mais de 10 horas por ele. Atendendo a equipe depois das 3 horas da manhã. O interessante da entrevista é Kurt perguntando ao Zeca “Where Can I get more of this?” (Onde eu consigo mais disto aqui?) quando Zeca viu, Kurt estava com dois cds dos Mutantes.

O que posso falar a respeito do livro? Que foi muito prazeroso de ler e que aumentou a minha discografia, me trazendo boas surpresas e me relembrando bandas as quais eu não ouvia a muito tempo. Relembrei bons álbuns como Jagged Little Pill da Alanis Morisette, Live Era do Guns e um dos álbuns mais fantásticos da face da terra (se não for o mais fantástico) Nevermind do Nirvana.

Se você gosta de Pop e de Rock, este livro é uma leitura obrigatória, que irá lhe acrescentar muito. Se você gosta de boas histórias do mundo da música, é uma excelente leitura. Vale a pena ter esta obra na sua estante, pois, após ler, ele pode servir de consulta de músicas diferente quando você está naquele espírito de experimentar coisas novas.

Como está escrito na dedicatória feita por Zeca Camargo em meu livro, A VIDA É UM GRANDE ROCK N’ ROLL.

O livro De A-ha a U2 pode ser encontrado em várias livrarias, sendo editado pela editora Globo.

Games – Tomb Raider – A Lara Croft que você não conhece (Mas vai adorar conhecer)

tombraider

 

Fala Calanganda!

Finalmente, depois de algum tempo de lançamento, chega em minhas mãos (para o desespero de minha esposa) o game Tomb Raider. Muitos de vocês devem conhecer a personagem Lara Croft, uma arqueóloga que segue o mesmo estilo Indiana Jones. O primeiro Tomb Raider veio em 1996 e trouxe uma nova jogabilidade para os games. O fato de você ter um personagem inserido em um mundo 3D feito para exploração transformou o modo de jogar games. Este game contava com uma grande nova heroína, Lara Croft, uma mulher forte e destemida que atirava em tudo que se mexia com suas duas pistolas, marca registrada da série, e que se metia em qualquer sítio arqueológico, enfrentando qualquer entidade ou civilização antiga sem pestanejar.

A série teve vários jogos, sempre com uma personagem forte, determinada e valentona, que, por exemplo, brigava com homens de igual para igual e lutava contra animais com grande facilidade. Depois de 17 anos com o mesmo plot, a série se tornou cansativa e as vendas começaram a despencar.

Foi quando a Square Enix resolveu remodelar a série, trazendo Lara Croft para um mundo mais real e palpável. Com isso, sai a Super Lara e temos a jovem Lara Croft, uma jovem inexperiente filha de um grande arqueólogo que está prestes a enfrentar a sua primeira aventura em uma ilha desconhecida. O game começa com um naufrágio, que leva Lara e sua equipe para terra firme. Depois disso, vemos a jovem encarar novos desafios. A Jovem Lara nunca tinha escalado sem equipamento, nunca tinha matado ninguém e ainda não possuía grandes instintos de sobrevivência. Quando ela se vê sozinha na ilha, vê que tem que se movimentar para sobreviver, caçando para comer, fazendo fogo para não morrer de frio e matar para não ser morta. No começo, escalar é mais difícil, geralmente ela é um pouco desajeitada para fazer certas coisas, mas com o tempo, ela usa este instinto de sobrevivência para superar obstáculos maiores.

Esta Lara se machuca muito, tornando a estada dela na ilha mais real. Se você pisar em falso, pode acabar com o pescoço quebrado ou algo do tipo. Pode estar andando na ilha e dar de cara com um lobo que pode rasgar sua garganta entre vários outros tipos de perigos que com certeza serão mortais.

Os gráficos do game são de babar com CGS fantásticos e gráfico de jogo muito bonitos também, tornando a experiência mais imersiva. Com grandes efeitos de água e de floresta. Efeitos de chuva, neve e sol são um espetáculo a parte também.

O game conta com armas como uma pistola, uma shotgun e um rifle para mais precisão, mas nenhuma dessas armas bate o bom e velho arco e flecha (minha arma favorita.) Com o arco, Lara pode fazer mortes mais silenciosas, surpreendendo grupos de inimigos. Claro, a arma que você vai escolher vai depender da estratégia que você vai traçar para derrotar determinado grupo de inimigos. Você pode eliminar um por um silenciosamente ou, pode decidir meter bala em qualquer coisa que se movimentar em sua frente.

Outra grande novidade é o sistema de desenvolvimento de Lara. A cada morte ou grande obstáculo que vence você ganha pontos de experiência, que vão tornando a personagem melhor. Você pode ser um perito em armas ou arco e flecha. Pode aprender a olhar melhor em volta da mata e achar itens secretos que você não conseguia ver. Pode se tornar uma grande assassina, sendo capaz de derrotar pessoas maiores do que você no mano a mano e entre outras habilidades. O bom disto é que você vê aquela Croft que chora ao matar pela primeira vez, se tornar uma Lara mais habilidosa e mais segura. As armas sofrem upgrade também, o que faz um arco e flecha de madeira antiga no começo se tornar em um arco com setas flamejantes e explosivas (Rambo Style) e com corpo reforçado no final do game.

Na floresta, Lara encontra Tumbas também,  que são uma ode aos gamers antigos de TR. Nelas você encontra puzzles e desafios de escalada como os jogos de antigamente. Subir uma plataforma de um lado e correr para o outro o mais rápido possível para pegar essa plataforma em movimento, usar mecanismos para abrir a porta certa entre outras.

A análise final deste que jogo é que é um jogão! Que merece ser comprado e jogado em sua totalidade. É difícil eu ter vontade de “platinar” (fazer 100% de um jogo) um game, mas este dá vontade de explorar cada pedacinho da floresta, explorar com cuidado cada tumba, adquirir todas as habilidades de Lara e é claro, eliminar cada ameaça perto de você.

O game está disponível em versões para PS3, Xbox360 e PC

Superman – Novo trailer e expectativa

vly4vbN

vly4vbN

Fala Calangada!

Se você vive neste planeta, deve conhecer um herói chamado Superman. Se você vê filmes com alguma frequência,  deve ter visto o último filme do Superman (uma grande porcaria). Agora, se é um amante do cinema e acompanha as noticias,  sabe que Zack Snyder (Watchmen) e Christoper Nolan (Trilogia Batman) estão trabalhando no novo filme do homem de aço,  e deve estar acompanhando todos os trailer com uma alta expectativa! Para todos vocês, segue o novo trailer do filme.

Nele podemos ver Jor El (Henry Cavill), Lois Lane (Amy Adams), Jonathan Kent (Kevin Costner) e… ZOD (Michael Shannon) um dos melhores vilões do universo DC. Pelo trailer podemos ver que a franquia que s3 inicia deixa de lado aquele Superman mais caricato e traz algo mais próximo a realidade (ok, um cara com um colant azul e de capa vermelha voando por ai não é tão real, mas…) Indo desde a queda de Krypton e a despedida de seu pai Jor El (Russel Crowe) passando por sua relação na infância com Jonathan Kent (Kevin Costner) seu pai adotivo, a descoberta de sua origem e poderes, a sua busca por quem ele é, e a descoberta do que ele precisar ser para a humanidade.

Se formos analisar o trailer, podemos ver um roteiro bem maduro, deixando o lado galhofa do Homem de Aço de lado e trazendo um história forte, onde poderemos acompanhar toda a trajetória de Kal El (Nome kryptoniano do Superman). Trazendo cenas de ação dignas dos poderes de Superman e uma SUPER pancadaria com Zod. Isso tudo poderemos confirmar no verão americano.

Ficamos na expectativa de ser um filmaço! E que eu sai do cinema correndo, com um braço para cima e cantando alegremente o tema de John Williams,  PARA O ALTO E AVANTE!

TV – How I Meet Your Mother

68680-(1)

Fala Calangada! Amantes de tudo que é divertido!

Semana passada foi corrida e acabou que não pude escrever um post. Me desculpe, mas essa semana vai! Sim! Vai sim!

O post desta semana é para dar uma grande dica de série de TV. Aliás, meu novo vício atualmente. Estou falando de How I Meet Your Mother (Se a série começar a passar no canal do Homem do Baú, a série iria se chamar, Como eu Conheci a Sua Mãe.). Esta é uma série de comédia que tem uma premissa fantástica! Um pai contando para os filhos como conheceu a mãe deles. Porém, ele não vai direto ao ponto. Ele quer que os filhos saibam a história toda, e por tabela, você também.

A história gira em torno do arquiteto Ted Mosby, que no ano de 2030 decidi contar aos seus filhos adolescentes como conheceu a mãe deles. Então ele volta ao passado, a 2005. Nisto, ele conta grandes histórias de sua turma de amigos formados por Marshall (seu melhor amigo), Lilly (Noiva de Marshall), Barney (Que jura que é o melhor amigo de Ted) e a nova amiga da turma, Robin, que se torna a verdadeira obsessão amorosa de Ted.

A série se passa em Nova York, onde os principais cenários são o apartamento de Ted, Marshall e Lilly e o pub que fica no subsolo do prédio de Ted (Um boteco no pé do seu prédio? O que você faria? Onde estaria?)

Os personagens são muito bem elaborados. As piadas são fantásticas! Do tipo que você quer replicar quando está em um grupo de amigos. Ted, o personagem principal, decide que quer achar a sua esposa. Ele quer casar e ter dois filhos. É o cara gente boa e extremamente romântico, que acredita no amor verdadeiro. Porém, por ser tão romântico, o cara é meio atrapalhado. E os foras dele com a mulherada geralmente te levam a dar grandes risadas e falar frases como: Ah não Ted! Marshall e Lilly são o casal “fofinho” no preparativo do casamento. Eles eram “roommates” na faculdade. Nesta mesma faculdade, estudava Ted, e foi ai que começou a amizade dos 3. O casal da série traz questões de jovens casais. Se você é casado ou está em vias disto, irá se identificar com muitas coisas dos dois. Barney é o espetáculo a parte da série. Um grande playboy, solteirão e sempre a caça de mulheres. As cantadas do cara sempre dão certo e são as mais absurdas possíveis! O que transforma todas as cenas nas quais ele esta presente em algo inesperado. Suas teorias sobre a vida de solteiro são “LEGENDÁRIAS” veja a série e você entenderá do que falo. E para finalizar, a nova e misteriosa integrante do grupo, Robin, que começa apenas como uma paquera de Ted e se torna em integrante desta turma. A canadense é repórter de um canal que ninguém vê. Tipo uma TV Comunitária. Ela não quer um compromisso sério. Não acredita no casamento e não tem vontade de ser mãe por enquanto. Ah, e ela mora com 5 cachorros… sim, 5 cachorros.

Enfim, a série mostra uma turma de amigos passando pelos desafios da vida. Se você é um solteirão, vai se identificar com Barney. Se é casado, com Marshall e Lilly. Se é um romântico a procura de seu par perfeito, Ted será seu companheiro. Se está em uma nova cidade, procurando se firmar em um novo grupo, procurando o seu lugar ao sol, de repente Robin seja a sua maior diversão da série.

Ou seja, não tem como você não gostar desta série!

How I Meet Your Mother está disponível até a 6 temporada no NetFlix e atualmente é exibida em sua 8 temporada na Fox.

Dê uma chance a esta grande série! Vai ser Legendary!!!

Abraços para todos, e não esqueça de comentar!

Música – Músicas Inspiradoras!

musicas-inspiradoras-balburdiapop

musicas-inspiradoras-balburdiapop

“Eu tenho a força, sou invencível…”

Trem da Alegria – He-Man

Fala Calanganda! Amantes de tudo que é bom e divertido! Feliz ano novo para todos!

O nosso primeiro post do ano será mais relax! Vamos falar menos e ouvir mais. Para começar a nossa sessão de músicas, vamos botar os Calangos para sonhar, trabalhar… se inspirar!

Escolhi estas músicas pelo fato de elas terem muita força e sempre me ajudam naquele momento chave, no qual necessito de um empurrãozinho! Então, chega de papo! Coloque o seu headphone e inspire-se!

1 – Bill Conti – Gonna Fly Now

Este é o tipo de música que quando eu ouço a vontade é de sair correndo! Gonna Fly Now é o grande tema de série de filmes de Rocky Balboa. A tradução da letra significa: Se esforçando agora / é tão difícil agora / Se esforçando agora – Ficando forte agora / Não vai demorar agora / Ficando forte agora – Vai voar agora / Voando alto agora / Vai voar… voar… voar…

Não tem como não ouvir e se inspirar! Querer se melhor!

[youtube www.youtube.com/watch?v=ioE_O7Lm0I4]

 

2 – Hans Zimmer – He’s a Pirate

Piratas do Caribe é uma grande franquia de filmes! Gostei de ver muito até o terceiro. Depois ficou chato. Porém, voltando ao primeiro fantástico filme, temos o tema do pirata Jack Sparrow, que, sem dúvidas, é um dos temas mais alucinantes que eu já vi. Obra do grande Hans Zimmer, maestro que tem uma fantástica coleção de temas de filmes. Gosto de ouvir este tema original do Hans Zimmer e em seguida, ouvir o tema interpretado pelo violinista David Garret (Grande artista! Conheça mais sobre ele). Então ouça e se sinta vivo!

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=s17XDrKuqc4]

David Garret – Rock Symphonies Live

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=Z_CrkU04_W8]

 

3 – Joe Esposito – You’re The Best Around

Karate Kid. Um grande filme! Posso falar isto pois faz menos de 15 dias que vi ele inteiro. E sim! Ele ainda é bom! A música em questão já é (desculpe a palavra mas…) FODA no nome! VOCÊ É O MELHOR A SUA VOLTA!!! Quando ouço essa música a minha vontade é de quebrar tudo (no bom sentido). Partes da letra me pegam muito, como: Lute até o fim / Porque sua vida dependerá / Da força que você tem dentro de ti! FALA AI!!! WHO´S THE MAN NOW? Ouça, veja o Daniel Larusso e os Cobra Kai enchendo nego de porrada e lembre-se: VOCÊ É O MELHOR A SUA VOLTA!!! 

Leia toda a tradução da música aqui!!! http://letras.mus.br/joe-esposito/391757/traducao.html

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=oomCIXGzsR0]

 

4 – Gabriel o Pensador – Até Quando?

Sempre fui um grande fã do Pensador. Acompanho o trabalho dele desde moleque, quando em 92 ele lançou a música “Matei o Presidente”. Esta música é uma porrada na cara. Ela já começa forte: Não adianta olhar pro céu / Com muita fé e pouca luta. Está música eu gosto de ouvir e pensar, pois, ela é muito forte! Além de falar com você, ela é uma crítica social. Mas ela não é para você ficar deprimido. Ao contrário! Ela é um grito, um grito para você mudar! O Pensador fala no final: Muda que quando a gente muda o mundo muda com a gente / A gente muda o mundo na mudança da mente.

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=4mSS84BqXJ8]

 

5 – Trem da Alegria – He-Man

Minha infância passou por os incríveis anos 80 e 90. Quem cresceu nesta época, com certeza tinha um herói, e este era He-Man. Me lembro que ouvi muito essa música. Apesar de ser uma música infantil, o refrão dela me inspira demais! Quando estou down e sozinho, começo a cantar: Eu tenho a força / Sou invencível / Vamos amigos, unidos venceremos a semente do mal! / Lalalala la la la Lalalala la la la Digão! Sim, você pode pensar que eu sou doido, mas nessa última parte eu falo meu apelido para me lembrar de quem eu sou e que eu posso fazer muito mais! Que eu sou invencível e que posso vencer qualquer desafio que a vida me apresentar. Tente cantar você, e no final do refrão fale o seu nome em vez de He-Man. Você vai se arrepiar e se sentirá capaz de levantar uma cidade sozinho! (O He-Man fez isto e um capítulo! Fantáaaaastico!)

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=YOFVqwHCUOc]

E veja este vídeo da Festa Ploc com Piui Abacaxi, Uni Duni Tê e He-Man. Veja o vídeo e cante junto!!!

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=ZG63nKWv_kI]

 

Espero ter deixado vocês inspirados meus amigos! Vamos começar este ano com todo o gás! Afinal, depois desta lista, você deve estar “on fire”! Grande abraço a todos e até a próxima quinta!

 

 

 

 

Games – Sleeping Dogs

sleeping

sleeping

 

Tiroteios e pancadarias para Jet Li nenhum botar defeito!

 

Se você é um gamer a algum tempo já deve ter ouvido falar ou mesmo ter jogado um game chamado True Crime.  Pois bem, este game evoluiu se tornando em um grande sandbox (Jogo de mundo aberto). O resultado é Sleeping Dogs, um game com muita porrada, tiros e carros em Hong Kong.

 

Conhecendo a Máfia

Neste game você é Wei Shen, um policial formado na america que volta para casa, Hong Kong,  a trabalho para se infiltrar na máfia chinesa. Sua missão? Desmantelar por dentro a máfia conhecida por Sun On Yee. É claro que no seu caminho, você terá que ganhar a confiança de vários integrantes da máfia, tendo que fazer parte de delitos em defesa de sua “Nova família”. Ao mesmo tempo, você deve fazer missões para a policial local, como, acabar com pontos de venda de drogas, prender chefões do crime e espionar a máfia. Tudo isso regado a muita pancadaria.

 

Martelo rodado na cara

A principal caracteristica do jogo é o sistema de combate. Logo no começo do jogo, em um diálogo com o chefe de polícia, Wei é lembrado que Hong Kong não é igual a América, logo, não há disponibilidade de muitas armas na cidade, logo, a maior parte das lutas contra os inimigos do jogo se baseia em artes marciais. O sistema de combate inclui socos, chutes, agarrões (o jogo teve o campeão de UFC, Georges St. Pierre, como coreografo de algumas partes da luta.) e contragolpes, muito utilizados também em Batman Arkham City. A variedade de golpes deixa o jogador escolher qual a melhor forma de derrotar o inimigo, que, possuem características de combate diferentes. Há inimigos especialistas em defesa de golpes, logo, uma estratégias de socos e chutes não será eficiente. O que leva o gamer a pensar: E se eu agarrar este cara? Você poderá usar vários objetos a sua volta para derrotas seus oponentes, como, jogar o bandido contra uma cabine telefônica e golpea-ló com o fone. São várias formas de se acabar com seu inimigo, uma mais violenta que a outra. O que com certeza, é bom!

Quando armas de fogo entram em cena, o jogo toma outra postura, onde o sistema de “murinho” (se esconder atrás de caixotes, pilastras, carros e etc.) auxilia o jogador a eliminar seus oponentes.

Ao voltar para Honk Kong, Wei se encontra com seu antigo mestre de artes marciais, que irá lhe ensinar novos golpes com o decorrer da aventura. Ao fazer as missões da máfia, Wei também aprenderá novas técnicas de luta mais “sujas” deixando a pancadaria mais interessante. Tudo isso pode ser testado nos vários Clubes de Lut… ops… (Primeira regra do Clube da Luta, não se fala de Clube da Luta. Segunda regra do Clube da Luta… NÃO SE FALA DE CLUBE DA LUTA!) encontrados na cidade, onde além de distribuir porradas em vários manés e testar novos golpes, você pode ganhar uma boa grana.

 

Direção Perigosa

Outro grande barato do jogo é a parte de direção. De prima, você com certeza irá bater de frente com outro carro. Porque? Em Hong Kong eles adotam a mão inglesa, logo, você tem que se acostumar a dirigir do “lado errado” da rua. Wei pode “pegar” (ou roubar) carros na rua para fazer uma missão ou comprar vários possantes para você que ficaram guardados nas garagens espalhadas pela cidade. Você terá opções de carros, motos e lanchas. O sistema de direção é bem eficiente, tornando a direção agradável e possibilitando Wei fazer muitas manobras hollywodianas. Destaque especial para as motos, que dão grande sensação de velocidade e adrenalina. Os troféus do jogo incluem, por exemplo, quanto tempo você consegue dirigir rápido sem bater. O que te faz sempre querer bater seu próprio recorde. Este que vos fala perdeu muito tempo de jogo correndo feito um louco pelas ruas da cidade tentando não esbarrar em um poste ou carro forte. Há um troféu também de quanto tempo Wei dirige empinando a moto sem bater. Mais uma super missão para você.

 

Conclusão

Sleeping Dogs é um sandbox muito bom e divertido. Tem uma história bem envolvente e te leva a conhecer uma Hong Kong mal explorada pelo cinema norte americano. A cidade está sempre viva, com várias nuances. Desde aqueles guettos mais conhecidos com várias pessoas na rua desde centro empresariais onde se pode se ver passando vários carrões de luxo. Na cidade você pode fazer compras (cada combinação de roupa dá uma recompensa diferente para Wei), cantar karaokê (praticamente um esporte nacional chinês), marcar de sair com garotas para mostrar a cidade, apostar em rinhas de galo ou simplesmente andar de moto curtindo uma rádio (desde Mozart até Heavy Metal). As opções são várias, e geralmente divertidas! Este é um game que vale a pena você comprar. O game está disponível nas plataformas PS3, PC e XBox 360.

Está na dúvida ainda? Veja este vídeo e se empolgue com este jogaço!

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=Ya-VGgmcl5M]

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Pular para a barra de ferramentas